quarta-feira, julho 20, 2011

O Socialismo Sempre Conduz ao Totalitarismo


Uma de minhas lembranças mais remotas da Noruega no pós-guerra era a preocupação tenebrosa com a Rússia, nossa vizinha no Ártico. Stalin cobiçava os portos não congelados da Noruega (aquecidos pela Corrente do Golfo), e muitos temiam o urso ameaçador que rondava em nossa fronteira. Em contraste, a imprensa britânica ignorava as atrocidades de Stalin. Em sua introdução à Revolução dos Bichos, George Orwell expôs a recusa covarde dos editores britânicos em criticar o comunismo — ou publicar seu livro:

   "... era óbvio que seria muito difícil conseguir publicar o livro... Na verdade, um editor inicialmente o aceitou, mas após fazer os acertos preliminares, decidiu consultar o Ministério da Informação (que aparentemente) o alertou... contra a publicação. Eis um trecho de sua carta:

   "... o livro pode ser considerado totalmente inadequado de se publicar no presente momento. Se a fábula fosse dirigida inicialmente aos ditadores e às ditaduras em geral, então tudo bem, mas ela segue... de forma tão completa o avanço dos sovietes russos e seus dois ditadores que só pode se referir à Rússia... Outra coisa: seria menos ofensivo se a raça predominante na fábula não fossem os porcos... Acho que a escolha dos porcos como o grupo governante irá, sem dúvida, ofender a muitos, particularmente aqueles mais enfezados, como sem dúvida são os russos." [5].

Teria certamente ofendido os comunistas britânicos! Por volta de 1943, o marxismo ganhou muito favor na Inglaterra, a Rússia era aliada na guerra contra Hitler e a Sociedade Fabiana se tornara um movimento político poderoso entre as elites britânicas. Do mesmo modo que a forma mais sutil de comunismo de Antonio Gramsci, os socialistas fabianos defendiam o gradualismo, a infiltração e a enganação em vez de revoluções sangrentas. [6].

Esse movimento socialista se espalhou pela Europa e pelos EUA sob a augusta bandeira da solidariedade e do bem comum. Como esses dois ideais raramente são definidos ou explicados com clareza, poucos entendem o que eles significam. Reflita neste breve resumo dos novos significados:

1. SOLIDARIEDADE: Diversas pessoas instruídas a achar um "terreno comum" (a "diversidade" é necessária para minar os valores antigos). A "visão comum" e os novos valores exigidos por essa solidariedade planejada são melhor enraizados nas mentes através de propaganda estratégica e grupos de discussão facilitados, combinando visões opostas em um consenso evoluído. Aldous Huxley descreve os resultados em Admirável Mundo Novo:

  "Reunidas em uma multidão, as pessoas perdem suas capacidades de raciocínio e de fazer escolhas morais. A sugestibilidade delas é elevada ao ponto de não terem mais qualquer julgamento ou vontade próprios... elas são submetidas aos excessos repentinos de fúria, entusiasmo e pânico. Em outras palavras, o homem em uma multidão reage como se tivesse ingerido uma grande dose de algum poderoso entorpecente. Ele é vítima daquilo que chamo de 'intoxicação das massas'." [7; tradução nossa].

2. BEM COMUM: A visão que dirige a solidariedade. O individualismo precisa ser substituído pela ação e pensamento coletivos. O "bem" pessoal precisa ceder lugar ao "bem" coletivo — incluindo a redistribuição de riquezas. Embora pareça compassivo, esse processo destruiu tanto a classe média quanto os incentivos pessoais na Rússia. Ele deixou todos igualmente pobres — exceto a elite dominante, que controlava tudo.

No entanto, os agentes de mudança socialistas ainda acreditam que com um pouco mais de psicologia, sociologia, vigilância e tributação — tudo o que constitui a reeducação atual — o sonho possa ser realizado. Mas eles estão errados! Seja sutil ou coerciva, a marcha rumo à solidariedade global trará terror e totalitarismo, não paz e abundância. Além disso, ela certamente aumentará a hostilidade contra o cristianismo, que é incompatível com o emergente sistema socialista. Como Marx e Engels escreveram no Manifesto Comunista em 1848:

  "... o comunismo abole as verdades eternas... e toda moralidade, em vez de estabelecê-las em uma nova base; portanto, ele atua em oposição a toda experiência histórica do passado...

  "Os comunistas... declaram abertamente que seus objetivos só podem ser alcançados derrubando-se à força todas as condições sociais existentes." [8; tradução nossa].

Hoje, essa mudança é gradual e sedutora em vez de forçada e alarmante. Flautistas de Hamelin influentes, como Rick Warren, aceleram o processo. Segundo a revista Christianity Today, Rick Warren ficou satisfeito em participar da cerimônia de posse de Obama ao lado do bispo Gene Robinson, um homossexual que prometeu orar sem usar a Bíblia. Cumprimentando Obama, Warren disse:

"O presidente-eleito Obama novamente mostrou seu compromisso genuíno de reunir todos os americanos de boa vontade que buscam um terreno comum." [9].
O Problema com a Natureza Humana

Desde o princípio do tempo e da história, a esperança humana por paz tem sido destruída pela vaidade, ganância, inveja, ódio, violência e guerras. Quando as pessoas rejeitam a graça e as diretrizes morais do Pai, apenas o medo das represálias pode moldar uma aparência de ordem e unidade. Essa ilusão de paz é mantida pelo medo, não pela liberdade — manipulando-se os sentimentos, e não ensinando fatos. Como Aldous Huxley escreveu:

  "Para obter sucesso um propagandista precisa aprender a manipular esses instintos e emoções... Vinte anos antes da indústria da propaganda da Avenida Madison embarcar na 'Pesquisa Motivacional', Hitler estava sistematicamente explorando e aproveitando os medos e esperanças secretos, os desejos, anseios e frustrações do povo alemão..."

 "Hitler escreveu: 'Toda propaganda eficaz precisa se limitar a algumas poucas necessidades básicas e então ser expressa em poucas fórmulas estereotipadas.' Essas fórmulas estereotipadas precisam ser repetidas constantemente, pois 'apenas a repetição constante finalmente conseguirá gravar uma ideia na mente da multidão.'"

  "A propaganda... nos ensina a aceitar como auto-evidentes as questões sobre as quais seria razoável suspender nosso julgamento ou ter dúvidas. O objetivo do demagogo é criar coerência social sob sua própria liderança." [7].

As crueldades do totalitarismo são registradas por John Noble em seu livro I Found God in Soviet Russia ["Encontrei Yaohu na Rússia Soviética"]. Confinado na Alemanha Oriental pelas forças russas de ocupação em 1945, Noble, com apenas 21 anos, foi preso sem julgamento. Depois de anos de fome e de transferências, ele finalmente terminou em um campo de trabalhos forçados no norte da Rússia. Ali, no meio de sofrimentos horríveis, ele encorajou os outros prisioneiros a confiar em no Senhor para obter forças para perseverar. Após sua libertação milagrosa dez anos mais tarde, ele descreveu a decadência das forças devastadoras do Exército russo, que ocupou a Alemanha Oriental até 1990:

  "Comecei a descobrir, durante os primeiros meses de ocupação russa... o que o homem sem Yaohu pode fazer. Embora eu ainda não pudesse compreender por que os russos se comportavam daquele jeito, os terríveis eventos do Domingo Negro em Dresden, em 6 de maio de 1945, me deram minha primeira noção da erosão moral que atingira o povo russo."

  "Protegidos pelas trevas da noite, vizinhos continuavam a vir à nossa casa em busca de refúgio. As histórias que eles contavam nos deixavam enojados. Muitas das mulheres estavam histéricas... Após saciarem sua lascívia em estupros, os soldados russos se voltaram para a pilhagem..."

  "... quando Yaohu é expulso de uma sociedade, você perde a base de um código moral..." [10; John Noble, I Found God in Soviet Russia].

Lascívia e iniquidade! Esses sinais perenes da depravação do homem longe do Criador já permeiam nossa cultura pós-cristã! Considere a planejada orgia homossexual no Hotel Double-Day em Washington DC, durante as comemorações da posse de Obama! [11].

Doentio como parece, os recentes ataques a judeus inocentes na Europa e nos Estados Unidos são igualmente perturbadores. Que maneira de começar o Ano Novo! O Ocidente, que proclama justiça e tolerância para todos, subitamente foi varrido por uma onda de fúria popular que nos faz lembrar as confrontações racistas e a Inquisição medieval. O autor Mark Steyn registra algumas das atrocidades em seu artigo recente "O 'velho ódio' vive, desde Gaza até à Flórida":
  • "Em Toronto, manifestantes anti-Israel gritaram: 'Vocês são irmãos de porcos!' e um manifestante se queixou ao repórter que 'Hitler não fez um bom serviço.'"
  • "Em Fort Lauderdale, pessoas em apoio aos palestinos disseram dos judeus, 'Vocês precisam de um forno maior, é disso que precisam!'"
  • "Em Amsterdã, a multidão gritava: 'Hamas, Hamas! Judeus para a câmara de gás!'"
  • "Em Toulouse, França, atearam fogo em uma sinagoga... um judeu foi atacado ferozmente por vinte jovens que diziam: 'Os palestinos vão matar os judeus.' ... uma estudante judia foi agredida violentamente por uma gangue que gritava: 'Os judeus têm de morrer.'"
  • "Em Bruxelas, um coquetel Molotov foi lançado contra uma sinagoga; em Antuérpia, panos em chamas foram colocados dentro na caixa de correio da casa de uma família de judeus." [12].
Não importa a inocência jurídica desses cidadãos judeus na Europa. Sob o senso de justiça torcido que acompanha tal ódio, a culpa étnica seletiva é mais uma vez uma realidade nas mentes coletivas. Então, enquanto os judeus são atacados em silêncio, poucos ousam criticar os muçulmanos, hindus ou homossexuais e arriscar represálias sociais por essas expressões politicamente incorretas. O que isso nos diz sobre a emergente Nova Ordem Mundial?
Resistindo à Solidariedade Global

Existem muitos tipos de "judeus" e "cristãos" hoje em dia. Enquanto a maioria se desvia com a atual contemporização neste mundo amoral, outros permanecem firmados na imutável Palavra que eles amam. Enquanto esses últimos são vistos como desajustados, a visão de "cristianismo" de Barack Obama se encaixa na visão de solidariedade global:

  "Acredito que existam muitos caminhos para o mesmo lugar, e essa é uma crença na existência de um poder maior, uma crença que nos conecta como povo." [13].

Os cristãos que evitarem esses caminhos de união provavelmente enfrentarão a ira do mundo. O mundo simplesmente não consegue entender a relutância em se conformar. Compromisso leal a Deus não faz sentido àqueles que não O conhecem! Portanto, o mundo tenta explicar isso em seus próprios termos enganosos. Como o pastor Rick Warren disse em uma entrevista a Stephen Colbert:

  "Um fundamentalista é alguém que pára de escutar. Existem fundamentalistas cristãos, judeus, muçulmanos... É a atitude de não dar ouvidos a ninguém mais." [14].

Isso não é verdade, a não ser que você defina "escutar" como o processo rumo ao consenso dialético, como muitos definem. Nesse contexto, a estranha declaração de Warren em um artigo de 2006 ao The Philadelphia Inquirer faz sentido:

  "Warren prediz que o fundamentalismo, de todos os tipos, será 'um dos grandes inimigos no século 21... O fundamentalismo islâmico, cristão, judaico...'" [15].

Em maio de 2005 em entrevista no Fórum Pew Sobre Religião, Warren definiu esse "inimigo" persistente:

  "... eles são apenas uma minoria; não sobraram muitos fundamentalistas nos EUA... A palavra fundamentalista vem de fato de um documento dos anos 1920 intitulado 'Os Cinco Fundamentos da Fé', uma visão muito estreita e legalista do cristianismo." [16].

Essa "visão estreita e legalista" é a fé dada por Yaohu nestas cinco verdades fundamentais: (1) A divindade de nosso Senhor Yaohushua, (2) o nascimento virginal, (3) a expiação dos pecados por meio da cruz, (4) A ressurreição de Cristo, e (5) a inerrância da Bíblia. Mas esses fundamentos não são mais aceitos em muitas igrejas. Como Yaohushua disse:

  "Se vós fósseis do mundo, o mundo amaria o que era seu, mas porque não sois do mundo, antes eu vos escolhi do mundo, por isso é que o mundo vos odeia. Lembrai-vos da palavra que vos disse: Não é o servo maior do que o seu senhor. Se a mim me perseguiram, também vos perseguirão a vós; se guardaram a minha palavra, também guardarão a vossa. Mas tudo isto vos farão por causa do meu nome, porque não conhecem aquele que me enviou." [João 15:19-21].

Um desses mártires perseguidos foi Ivan (Vanya) Moiseyev, um cristão de 18 anos de idade recrutado pelo Exército Vermelho em 1970. Dois anos depois ele foi torturado até a morte pelos comandantes comunistas por se recusar educadamente a negar Seu Senhor. Se não fosse a graça fortalecedora de Yaohu durante os anos de torturas impensáveis, ele teria morrido bem antes. Talvez esse vislumbre da resposta de Ivan ao primeiro sinal de hostilidade nos lembrará da alegria de seguir Yaohushua Cristo — custe o que custar!

  "... ele (o sargento russo) não conseguia acreditar que um jovem soviético pudesse ter sido completamente envenenado pela religião."

  "Zalivako não terminou. 'É evidente que você resiste aos ensinamentos, Moiseyev, e aos conselhos de seus superiores. Isto me preocupa. Você precisa de uma lição. Já que você gosta de orar ajoelhado, eu lhe darei uma oportunidade de trabalho socialista construtivo nessa posição. Você vai limpar o pátio de exercícios e todos os corredores do quartel, de joelhos... Você trabalhará a noite toda. Talvez esse tipo de exercício, diante de seus camaradas, possa persuadi-lo a aceitar o ensino. Você terá a oportunidade de considerar se deseja continuar com suas visões anti-soviéticas. Dispensado.'"

  "... a notícia que havia um crente na unidade se espalhou por toda a companhia... Logo após a primeira história veio a segunda, que Polit-Ruk pôs Moiseyev para esfregar o enorme pátio do quartel com uma pequena escova e um balde."

  "Era inacreditável, mas ele estava de bom humor, cantando e sorrindo enquanto trabalhava, apesar das continuas interrupções pelos oficiais que o chamavam em seus gabinetes para pressioná-lo. No almoço, os soldados iam até o pátio... vendo-o trabalhar, escutando os hinos que ele cantava baixinho com tamanha e evidente alegria. Ele era um mistério." [17]Fonte: espada

2 comentários :

  1. Muito bom o seu blog e artigos e já estou te seguindo. Agradeço por me seguir no diHITT, mas gostaria caso queira de me seguir no meu blog.
    http://gtercio.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. E o capitalismo, nos conduzirá a quê?

    ResponderExcluir

Blogger Template by Clairvo