domingo, maio 05, 2013

Evento misterioso alterou linhagem genética humana, sugere pesquisa

A linhagem genética dos europeus foi misteriosamente transformada há cerca de 4.500 anos, é o que sugere uma nova pesquisa.

A descoberta, detalhada hoje [23 de abril] na revista Nature Communications, foi extraída da análise de vários esqueletos desenterrados na Europa Central e que têm idade de até 7.500 anos. “O que é intrigante é que os marcadores genéticos desta primeira cultura pan-europeia, que foi claramente muito bem sucedida, foram repentinamente substituídos há cerca de 4.500 anos, e não sabemos o porquê”, disse em comunicado um dos autores do estudo, Alan Cooper, do Centro Australiano para DNA Antigo da Universidade de Adelaide. “Alguma coisa importante aconteceu e o objetivo agora é descobrir o que foi.”

O novo estudo também confirma que as pessoas que deixaram a Turquia [o Ararate está lá...] colonizaram a Europa, provavelmente como consequência da revolução agrícola, chegando à Alemanha cerca de 7.500 anos atrás.

Durante décadas, os pesquisadores se perguntaram se as próprias pessoas, ou se apenas suas ideias teriam se espalhado a partir do Oriente Médio, durante a revolução agrícola que ocorreu após o período Mesolítico. Para descobrir, Cooper e seus colegas analisaram o DNA mitocondrial, encontrado em estruturas de produção de energia das células e que é transmitido através da linhagem materna, em 37 restos mortais da Alemanha e dois da Itália, esqueletos de seres humanos que viviam em várias culturas que floresceram entre 7.500 e 2.500 anos atrás. A equipe observou um DNA específico de um determinado grupo genético, chamado haplogrupo H, que é encontrado amplamente em toda a Europa, mas é menos comum na Ásia Central e Oriental.

Os pesquisadores descobriram que os primeiros agricultores da Alemanha tinham íntima relação com os povos do Oriente Próximo e da Anatólia, sugerindo que a revolução agrícola trouxe, de fato, migrações de pessoas para Europa que substituíram os primeiros caçadores-coletores. Mas esse influxo inicial não é parte significativa do patrimônio genético da Europa atual.

Em vez disso, entre 5.000 e 4.000 anos atrás, alterações radicais do perfil genético sugerem que algum evento misterioso levou a uma grande reviravolta na população que veio a constituir a Europa.

A Cultura Campaniforme, que surgiu na Península Ibérica por volta de 2.800 a.C., pode ter desempenhado algum papel nessa revolução genética. A cultura, que pode ter sido a responsável por erguer alguns dos megalíticos de Stonehenge, tem esse nome pela sua singular cerâmica em forma de sino e de seus ornamentos funerários. Ela também teve seu papel na expansão das línguas celtas ao longo da costa.

“Estabelecemos que as bases genéticas para a Europa moderna só foram estabelecidas no Mesoneolítico, depois dessa grande transição genética cerca de 4.000 anos atrás”, como declarou Wolfgang Haak, outro autor do estudo também do Centro Australiano para DNA Antigo. “Essa diversidade genética foi então modificada pelas sucessivas migrações e expansões das culturas da Ibéria e da Europa Oriental, no decorrer do período final do Neolítico.” [LiveScience; tradução: Marcelo II]


Nota: Que evento “misterioso” ocorrido há cerca de quatro mil anos teria promovido essa alteração na linhagem genética europeia? Teria sido algum tipo de catástrofe que promoveu um “gargalo” na humanidade, tendo sido reconstruída toda uma linhagem a partir desse evento? Só sei de uma coisa: quatro mil anos no passado nos colocam exatamente na época do dilúvio de Gênesis...

0 comentários :

Blogger Template by Clairvo