sábado, março 22, 2014

Raciocine na Direção Oposta à Mídia de Massa

Aprenda a Raciocinar na Direção Oposta à Indicada Pela Retórica Apresentada ao Público na Mídia de Massa

Freqüentemente, a verdade está na direção oposta à indicada pela retórica apresentada ao público. Além disso, a imprensa, a televisão e as rádios estão sob o rígido controle dos Mestres dos Illuminati. Exortamos que você encare isso com seriedade, pois a máquina da propaganda está operando com força total e é extremamente eficiente.

Durante a Guerra do Vietnã, ingressei no Serviço de Inteligência dos EUA e fui designado para o Centro de Processamento Conjunto de Inteligência de Sobe, em Okinawa, no Japão. Essa instalação era chamada de "O Pentágono do Oriente". Enviávamos dados de Inteligência para o Pentágono dentro de dados crus. Durante esse período, recebi muita instrução e assimilei muitos conhecimentos que têm sido úteis neste ministério.

Um fato que me ensinaram é que, para chegar à verdade, é necessário desenvolver o "raciocínio na direção oposta"; em outras palavras, a verdade em muitas situações, especialmente no planejamento estratégico, encontra-se na direção oposta à indicada pela retórica apresentada ao público. Durante os preparativos para uma guerra, por exemplo, a retórica pública falará de paz e de tratados.

Um corolário disso é que, quando você vir líderes que estão obviamente se preparando para a guerra, começarem a falar de paz, saberá que a deflagração da guerra provavelmente é iminente.

Raciocínio na Direção Oposta na História

Resumo da Notícia: "Tratado de Não-Agressão Entre a Alemanha e União das Repúblicas Socialistas Soviéticas", 23/8/1939, http://www.yale.edu/lawweb/avalon/nazsov/nonagres.htm
"O Governo do Reich Alemão e o da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, desejosos de fortalecer a causa da paz entre a Alemanha e a URSS e dando prosseguimento aos pontos fundamentais do Acordo de Neutralidade, concluído em abril de 1926, entre a Alemanha e a URSS, chegam ao seguinte acordo: 
Artigo 1: "Ambas as partes contratantes se obrigam a renunciar a qualquer ato de violência, qualquer ação agressiva, e qualquer ataque de um contra o outro, individualmente ou em conjunto com outras potências."
Esse Pacto de Não-Agressão foi assinado em Moscou, em 23 de agosto de 1939, entre Ribbentrop, da Alemanha, e Molotov, da URSS. Apesar de existirem outros artigos, o Artigo 1 expressa sucintamente a essência de todo o acordo.

A Alemanha e a URSS se comprometeram uma com a outra e com as nações do resto do mundo que tomariam todas as medidas nos próximos dez anos para evitar um conflito. "Paz em nosso tempo" nunca pareceu tão próximo da realidade e o cidadão ingênuo suspirou aliviado.

Essa era a retórica apresentada ao público.

Os historiadores dizem que a realidade estava a 180 graus de distância, na direção oposta. Hitler queria esse Tratado de Não-Agressão para poder buscar sua meta de conquistar a Europa Ocidental e a Inglaterra sem ter de se preocupar com o flanco oriental. Stalin, por outro lado, sabia que Hitler eventualmente atacaria a URSS, e queria que esse tratado lhe desse mais tempo para se preparar para a guerra, que considerava inevitável.

Com esse tratado em mãos, Hitler iniciou sua planejada Segunda Guerra Mundial, em 1 de setembro de 1939, atacando a Polônia. Ele não atacou realmente a URSS até 22 de junho de 1941, (http://fsmitha.com/h2/ch23.html) dando assim a Stalin e a seus generais aproximadamente dois anos inteiros para se preparem para o ataque alemão, que sabiam que ocorreria. Hitler ganhou quase dois anos inteiros para empreender sua guerra contra o Ocidente, contra a Europa e Grã-Bretanha sem ter de se preocupar com os russos invadindo a partir do leste.

A verdade sobre essa questão estava na direção totalmente oposta à retórica apresentada ao público.

Tomando a Checoslováquia Sem Luta

Como dissemos anteriormente, Hitler ordenou que o Alto Comando Alemão atacasse a Polônia em 1 de setembro, exatamente uma semana após ter concluído seu Tratado de Não-Agressão com Stalin. Quando os poloneses estavam lutando vigorosamente contra os alemães, o Exército russo subitamente atacou a Polônia em 17 de setembro de 1939, sem aviso e sem provocação. Lutando uma guerra em duas frentes, a Polônia capitulou em 2 de outubro.

Enquanto Hitler atacava a Polônia, dirigiu seus esforços diplomáticos para a Checoslováquia. Durante vários meses na primavera e no verão europeu, Hitler exigiu o controle sobre a Checoslováquia, para "proteger" a população alemã que Hitler dizia que corria perigo. A Checoslováquia era formada por diversas etnias e a população de origem alemã era uma minoria.

Quando Hitler invadiu a Polônia em 1/9/1939, a Grã-Bretanha e a França ficaram muito alarmadas. O primeiro-ministro britânico Chamberlain viajou a Berchtesgaden, na Alemanha, em 15 de setembro para tentar obter qualquer esperança de paz na Europa. Chamberlain estava operando sob a ilusão que a Grã-Bretanha, a França, e a Alemanha de Hitler tinham o comunismo como um inimigo comum. Portanto, tentou negociar com Hitler para juntar suas fileiras para lutar contra a Rússia comunista. Hitler, entretanto, estava a quilômetros na frente de Chamberlain em raciocínio estratégico.
"Hitler prometeu que aquela seria a última reivindicação territorial que faria na Europa. Ele advertiu que a não ser que os direitos dos Sudetos de 'autodeterminação e retorno ao Reich' fossem aceitos, a Alemanha invadiria a Checoslováquia mesmo que isso provocasse uma guerra mundial. Chamberlain deixou Berchtesgaden, convencido que Hitler estava resoluto, mas achou que poderia ainda negociar a paz para o mundo." (http://members.tripod.com/~mr_sedivy/eur_4.html).

As garantias de Hitler a Chamberlain em 15 de setembro, foram que aquela seria a última reivindicação territorial que faria na Europa. Que baita mentira! Ele já tinha ordenado que o Alto Comando Alemão se preparasse no início de outubro para uma invasão em larga escala à Checoslováquia. Como esse historiador observa, "... os britânicos e os franceses estavam determinados a não lutar pela Checoslováquia. Chamberlain fez o comentário que 'estão pedindo que eu entre em guerra por um país distante sobre o qual nada sei'..." [Ibidem].

O presidente americano Roosevelt interveio diplomaticamente, exortando Hitler e os líderes europeus a resolverem seus problemas sem recorrerem à guerra. Em 28 de setembro de 1939, uma Conferência Especial das Quatro Potências foi realizada em Munique, entre o premier francês Daladier, Chamberlain, da Grã-Bretanha, Hitler, da Alemanha, e Mussolini, da Itália. Após muita discussão, Chamberlain e Daladier aceitaram as exigências de Hitler pela maior parte da Checoslováquia, confiando em sua garantia que não faria expansões territoriais na Europa. [Ibidem].

Chamberlain deixou o encontro em Munique em 30 de setembro de 1939 e voltou para a Inglaterra. Ao desembarcar, fez sua malfadada declaração, "Acredito que esta seja a paz no nosso tempo." Como esse historiador observa, "Ele foi recebido com saudações e com alívio." [Ibidem] Em outras palavras, o público ingênuo calorosamente aceitou a ilusão de Chamberlain, mesmo apesar de outros políticos, como Churchill, começarem imediatamente a advertir o povo para não se deixar enganar!

Hitler não perdeu tempo e entrou em ação. "Munique foi um grande triunfo para Hitler. O Führer pôde colocar a 'Operação Verde' em ação no prazo; os soldados alemães invadiram a Checoslováquia sem encontrar resistência. Os generais alemães não podiam acreditar que Hitler tivesse obtido outra vitória sem sangue, e sustaram seu plano contra ele." [Ibidem].

A realidade estava exatamente na direção oposta à indicada pela retórica apresentada ao público.

O exemplo histórico de Hitler desse princípio também produz um corolário: quando os preparativos de guerra são evidentes e próximos de se completar, os líderes subitamente começarão a falar em paz. Portanto, uma das mais claras indicações que ações militares podem estar próximas é quando os líderes políticos e militares — que foram vistos fazendo detalhados preparativos de guerra — subitamente começarem a falar em paz. Mantenha esse corolário em mente, pois os líderes atuais dos Estados Unidos a Israel estão subitamente falando de paz quando não há paz no horizonte; portanto, podemos concluir que talvez as hostilidades militares sejam iminentes.

O Genocídio Nazista Contra os Judeus e Outras Pessoas Depreciadas

Durante os primeiros quatro anos de assassinato discreto de pessoas em hospitais privados, enfermarias e instituições mentais por meio de um deliberado mau uso de tratamento médico, erros suficientes haviam sido feitos para que as palavras chegassem a certos cidadãos e líderes comunitários alemães. Certos médicos começaram a denunciar, mas a maior voz contra esse genocídio veio dos líderes da igreja protestante. [The Nazi Doctors (leia a resenha), Robert Jay Lifton, pág. 90]. Essas vozes de protesto ficaram sabendo que o nome secreto dado ao projeto genocida era "Programa T4".

Como as vozes de protesto cresceram imensamente, os líderes nazistas ficaram muito preocupados que o cidadão alemão mediano se voltasse contra eles, tornando assim impossível que todos os judeus e todas as pessoas desprovidas de valor fossem eliminados, como a visão satânica de Hitler previa.

Portanto, no meio da retórica para o grande público, o governo alemão anunciou que estava descontinuando o "Programa T4", para o grande alivio de muitos cidadãos e líderes alemães. Entretanto, como Lifton observou: "o T4 oficialmente acabou como programa, só que veio a ser ainda outro engano. A matança em larga escala continuou em uma segunda fase, às vezes aludida em documentos nazistas como 'eutanásia selvagem' porque os médicos... podiam agora agir por iniciativa própria decidindo quem viveria ou quem morreria." [Ibidem, pág. 96].

De fato, os nazistas até fizeram uma grande demonstração, desmantelando as câmaras de gás, convencendo ainda mais pessoas que estavam interrompendo a matança genocida. Entretanto, Lifton observou que os nazistas caladamente embarcaram as peças dessas câmaras de gás para o leste, onde as montaram novamente, e planejaram a próxima e final fase da matança.

A realidade estava exatamente na direção oposta à indicada pela retórica apresentada ao público.

Campo de Extermínio de Auschwitz — Exemplo Máximo da Enganação

Quando os trens alemães chegaram ao campo de extermínio de Auschwitz, os passageiros judeus testemunharam uma visão revigorante. A área inteira parecia maravilhosa! Ouça a explicação de Lifton: "... as casas [dos] crematórios tinham... casas de tijolos, janelas, cortinas, cercas brancas de proteção na frente. E as pessoas... não podiam acreditar... Havia um toque de gênio diabólico." [Ibidem, pág. 165].

A realidade estava exatamente na direção oposta à indicada pela aparência mostrada ao público.

O Povo Russo Compreendeu

Durante a rígida ditadura comunista na Rússia, as pessoas que tinham discernimento chegaram à conclusão que não podiam acreditar em uma palavra de qualquer parte da mídia de massa, visto que os censores controlavam todas as frases de todos os artigos. Naquele tempo, o cidadão russo que tinha discernimento chegou à conclusão que a verdade sobre qualquer questão estava na realidade na direção oposta daquilo que estava sendo apresentado! Quando chegou o tempo para a deliberada dissolução da URSS, as pessoas descobriram que os Estados Unidos não eram o inimigo mortal do povo russo como tinham ouvido por décadas; mas o cidadão russo com discernimento já conhecia esse fato, porque tinha assumido o oposto exato do que a mídia de massa dizia.

A realidade estava exatamente na direção oposta à indicada pela retórica apresentada ao público.

Propagandistas da Nova Ordem Mundial

O Plano da Nova Ordem Mundial para produzir o Anticristo similarmente faz muito uso dessa técnica de propaganda. Nos eventos que estão ocorrendo à nossa volta agora mesmo, não podemos esperar compreender a verdade a não ser que adotemos a estratégia de filtrar as notícias diárias e a retórica normal do governo. A não ser que nos treinemos em olhar para a direção oposta à indicada pela retórica, nunca compreenderemos verdadeiramente os eventos que estão ocorrendo.

Relacionamos alguns eventos atuais nos quais a realidade está exatamente na direção oposta à indicada pela retórica da mídia de massa. Exortamos que você encare isso com seriedade, pois a máquina da propaganda está operando com força total e é extremamente eficiente.

Exemplos Atuais Em Que o "Raciocínio na Direção Oposta" É Necessário

Exemplo 1. Presidente Bush: "Não estamos em guerra contra o Islã" — A verdade é que os Iluministas compreenderam logo após o fim da Segunda Guerra Mundial que o Islã era tão fortemente monoteísta que seus seguidores jamais aceitariam as reivindicações do Cristo da Nova Era. Portanto, decidiram que todos os muçulmanos (atualmente 1,2 bilhões de pessoas) precisam morrer. Estamos vendo a operação desse plano agora, oculta na retórica de largo alcance que "não estamos em guerra contra a vasta maioria dos muçulmanos, apenas contra os 'grupos extremistas' ".

Os muçulmanos nunca poderiam ser um "receptor apropriado" para o Cristo da Nova Era, de modo que precisam morrer [Leia N1094, "A Religião Mundial Já Está Formada — Equivalente Espiritual das Nações Unidas", para ver uma discussão completa sobre o que é um "receptor apropriado" no pensamento dos Iluministas). Leia também o Exemplo 7, sobre as Nações Unidas, em que essa realidade é novamente demonstrada.

Exemplo 2. O Islã é uma religião pacífica — No artigo N1556 (não traduzido), citamos o Alcorão para demonstrar que seus ensinos não são compatíveis com o cristianismo e que realmente são o oposto daquilo que O Messias Yaohushua ensinou. Por exemplo, o Alcorão diz: "8:13. Quando teu Criador se revelou aos anjos, dizendo, estou convosco; ficai firmes todos os que crêem. Lançarei o terror dentro dos corações dos descrentes. Pisai em seus pescoços, e arrancai a ponta de todos os seus dedos.'"

Ensinos como esses são numerosos, e são responsáveis pelo fato histórico que os seguidores do Islã chacinaram mais cristãos que qualquer outro grupo na história. A razão por que tantas das atuais nações do Oriente Médio são tão predominantemente muçulmanas é que, centenas de anos atrás, os guerreiros islâmicos mataram grandes números de cristãos à espada. A filosofia dominante do Islã com os descrentes é: "Converta-se, ou morra". [Para mais detalhes sobre a natureza verdadeira e violenta do Islã, leia o artigo "JIHAD: Unmasking America's New Enemy", na WorldNetDaily, 9/10/2001. www.worldnetdaily.com/news/artigo].

Exemplo 3. Formar o Estado Palestino para Ser Aniquilado — Lembra-se do nosso comentário anterior que, quando um líder está planejando guerra, fala de paz exatamente antes de executar o ataque? Isso aparenta ser precisamente o que está ocorrendo hoje entre Israel, Estados Unidos e os palestinos liderados por Yasser Arafat.

As Forças Israelenses de Defesa completaram todas as atividades de separação física necessárias para assegurar que, quando a guerra de aniquilação começar, nenhum judeu esteja na área-alvo. Hoje, as cidades e vilarejos palestinos estão delimitados por cercas de arame farpado e/ou valas antitanque. As FID controlam as estradas que ligam as cidades. No momento em que for dada a ordem, todos os cidadãos palestinos poderão ser presos em seus vilarejos, com a vasta maioria dos judeus livres do perigo. [Leia o artigo N1422, "A Vindoura Aniquilação do Povo Palestino", para conhecer os detalhes completos sobre a profecia de Obadias de 2.500 anos atrás, que descreve exatamente esse tipo de ataque no fim dos tempos, o 'Dia do Criador'].

Portanto, acreditamos que o ataque aniquilador contra os palestinos pelas Forças Israelenses de Defesa esteja muito próximo. Assim sendo, consideramos as seguintes declarações muito interessantes.

25 de setembro de 2001 — O primeiro-ministro israelense Sharon subitamente disse a um público judaico que está disposto a permitir que Arafat tenha seu estado. "O primeiro-ministro Ariel Sharon declarou na noite passada, ao discursar no Sindicato dos Professores, que Israel está disposto a garantir aos palestinos um estado independente. 'Nem os turcos, nem os britânicos, nem os jordanianos, nem os egípcios ofereceram criar um Estado Palestino', disse o primeiro-ministro. Israel está disposto a fazer isso, ele disse, se os palestinos provarem que podem garantir a paz na Judéia, em Samaria e em Gaza." [Arutz-7].

Israel não tem nenhuma intenção de dar a Arafat seu estado, pois ele demonstrou excepcionalmente bem suas credenciais terroristas na última década em geral, e durante o ano passado da atual Intifada, especificamente. Cada cessar-fogo que anunciou foi destruído por suas próprias ações; quebrou todas as promessas e cada um dos seus compromissos.

Portanto, devemos procurar a verdade exatamente na direção oposta: Sharon planeja levar a cabo a ação de completa aniquilação planejada desde junho de 1990. [Leia os detalhes no artigo N1422, referido anteriormente].

1 de outubro de 2001 — O presidente Bush declarou que os Estados Unidos sempre planejaram um Estado Palestino. Logicamente, essa é uma baita mentira. Durante as Administrações Carter e Reagan, os EUA recusaram-se a receber Arafat, porque tal recepção lhe conferiria o título de chefe de estado; declaramos a verdade repetidamente, que Arafat era nada mais que um chefe terrorista, não um legítimo chefe de estado. Então, em 13 de dezembro de 1988, o Secretário de Estado americano subitamente anunciou que os EUA mudariam essa política e começariam a negociar com Arafat em um nível inferior.

Na edição de junho de 1990 do The Jewish Press, li o editorial que dizia que a alta liderança israelense — tanto civil quanto militar — decidira que, na próxima guerra árabe-israelense, iriam aniquilar os estados árabes inteiros que viessem contra eles. Exatamente dois anos mais tarde, em 1992, o mundo ouviu do "Processo de Paz de Oslo", as negociações que foram realizadas secretamente por mais de um ano entre Arafat e Shimon Peres. Como Arafat apoiou abertamente o Iraque durante a Guerra do Golfo de 1990-1, caiu no ostracismo tanto no Ocidente quanto nos países árabes. No tempo em que Peres começou a se reunir com ele, como se estivesse negociando com um chefe de estado, Arafat estava literalmente "na corda bamba" em sua liderança da OLP [Organização para a Libertação da Palestina]. Os Serviços de Inteligência israelense e americano literalmente ergueram Arafat da lona para que ele pudesse começar a "negociar" com Peres e produzir o Processo de Paz de Oslo.

Portanto, nunca houve em algum governo americano o "plano" de permitir a criação de um Estado Palestino. Como essa declaração é totalmente falsa, devemos procurar a verdade na direção oposta.

1 de outubro de 2001 — Começaram a aparecer reportagens declarando que os Estados Unidos estavam revertendo sua política para Israel e voltando-se para os estados árabes (www.worldnetdaily.com/news/article, WorldNetDaily, 1/10/2001). Os editores da WorldNetDaily obviamente nunca leram os Planos dos Illuminati de produzir o Anticristo e construir o templo no Monte do Templo em Jerusalém. O autor da Nova Ordem Mundial Peter Lemesurier declara repetidamente que o Cristo da Nova Era aparecerá no lado oriental de Jerusalém, encenando o "cumprimento" de Zacarias 9:9. [The Armageddon Script (leia a resenha)]. A última terça parte do livro de Lemesurier descreve o plano de iludir o povo judeu a pensar que aquele é o Messias. Lemesurier fala da planejada guerra para produzir o Cristo da Nova Era, e antevê uma vitória israelense.

Além disso, a Maçonaria Iluminista ocidental está totalmente por trás desse esforço para produzir o Anticristo. Seu mais importante ritual é a representação da lenda de Hirão-Abi, na qual três rufiões conspiram para agredir e matar Hirão-Abi, o arquiteto-chefe do Templo do Rei Salomão. Os maçons pretendem reconstruir o templo judaico, no Monte do Templo, a fim de iludir os judeus para que acreditem que seu Cristo é o longamente aguardado Messias judaico. Obviamente, esse dileto plano seria derrubado se Israel fosse derrotado pelos árabes, o que daria o controle permanente do Monte do Templo aos muçulmanos. Tal acontecimento seria considerado um desastre absoluto para os Illuminati, e eles evitarão a todo custo que isso aconteça.

Finalmente, o Criador Yaohu declara claramente que, uma vez que trouxer Israel de volta como nação, nunca permitirá que seja expulso de sua terra novamente [Amós 9:11-15; Obadias 17].

Visto que essas declarações não fazem sentido, devemos procurar a verdade na direção exatamente oposta.

7 de outubro de 2001 — o primeiro-ministro israelense Sharon subitamente pareceu atacar a política da Administração Bush de exortar restrição diante dos ataques do terror palestino. Sharon declarou que Israel se defenderia, e não permitiria que os Estados Unidos conduzissem a guerra global contra o terror à sua custa.

Imediatamente, a Casa Branca respondeu negativamente a Sharon, levando muitos analistas a perguntar se uma rixa estava ocorrendo entre Estados Unidos e Israel. Visto que esse desenvolvimento não faz sentido, precisamos olhar exatamente na direção oposta. Se Israel está a ponto de atacar os palestinos, os Estados Unidos podem querer afirmar que não têm nada a ver com isso e condenar tal ação. Bush poderia apontar para a "rixa" que subitamente ocorreu entre os dois países, e plausivelmente negar qualquer conhecimento ou participação americana.

Tendo dito isso, entretanto, devemos nos ater à possibilidade que um curto "Acordo de Paz" possa ser obtido entre Israel e os palestinos que permitirá aos Illuminati levar a cabo as etapas 3 e 4 do Projeto da Aliança da Nova Jerusalém. A etapa 3 é a criação de uma zona internacional em Jerusalém, que permitirá a criação de uma casa internacional de oração. A etapa 4 é o papa anunciar que todas as religiões do mundo estão agora unificadas, e ele é o chefe. [Leia os detalhes completos sobre essa "paz" de curta duração no artigo N1519, "Encontro do G-8 em Gênova Aprova o Envio de Observadores ao Oriente Médio".].

Exemplo 4. A Guerra Não Se Iniciará em um Futuro Próximo — Essa manchete apareceu em muitos jornais e em reportagens na televisão no sábado, dia 6 de outubro de 2001. No domingo, o presidente Bush ordenou que o ataque iniciasse. Uma análise dos artigos e editoriais publicados no domingo revelou um súbito surto nas conversações de guerra, embora o presidente Bush ainda não tivesse revelado publicamente que ordenara o ataque quando os jornais foram para as rotativas.

Exemplo 5. O Ex-Governador da Pensilvânia, Tom Ridge, declarou: "Devemos também rejeitar a falsa escolha de liberdade versus segurança... podemos e devemos ter ambas. Estaremos em segurança e não permitiremos que os terroristas mudem nosso estilo de vida essencial." ["Ridge Promete Equilíbrio entre Direitos e Segurança" , The News-Item Newspaper, Peter Jackson, da Associated Press, 3/10/2001].

O fato é que os Iluministas planejam há pelo menos 85 anos, e talvez até 200 anos, como melhor suprimir nossas liberdades por meio de uma crise fabricada. Considere estas duas citações de planejamento, primeiro de "Os Protocolos dos Sábios de Sião" e, em seguida, do livro da Nova Era, Behold a Pale Horse, de William Cooper [leia a resenha]:

Os Protocolos dos Sábios de Sião — Escrito há 200 anos
"(4). SOMOS LOBOS — Os gentios são um rebanho de carneiros, e somos seus lobos. Sabe o que acontece quando os lobos tomam conta do rebanho? 
"(5). Há outra razão também por que fecharão seus olhos: Prometeremos restituir todas as liberdades que tomarmos tão logo tenhamos subjugado os inimigos da paz e domesticado todos os partidos... 
"(6). Não é preciso dizer qualquer coisa sobre quão longo tempo esperarão por esse retorno às suas liberdades... 
"(7). Para que propósito então inventamos toda essa política?" [Protocolos dos Sábios de Sião, Protocolo 11 — O Estado Totalitário; Os Protocolos foram escritos cerca de 200 anos atrás].
Observe que eles declaram no parágrafo 7 que "inventaram toda essa política". Além disso, no parágrafo 5, declaram que prometerão restituir ao povo suas liberdades assim que tiverem "subjugado os inimigos da paz e domesticado todos os partidos". Agora, como esses líderes Iluministas sabiam, 200 anos atrás, que as liberdades seriam suprimidas usando-se uma situação de guerra e de distúrbios? Uma resposta simples é que esses Iluministas planejaram desde o início primeiro criar o desastre e então apresentar a "solução" que lhes permitirá tornarem-se os ditadores e dominar a população do mundo inteiro.


O livro Behold a Pale Horse, de William Cooper.

O autor cristão de Nova Era, William Cooper, diz: "As sociedades secretas planejam desde 1917 inventar uma ameaça artificial... a fim de levar a humanidade a um governo único mundial o qual chamam de Nova Ordem Mundial." [Behold a Pale Horse, pág. 27].

Para entender completamente o impacto dessa declaração de Cooper, veja o símbolo que aparece no lado esquerdo do verso de uma nota de um dólar. É o símbolo dos mistérios maçônico-egípcios da pirâmide com o topo incompleto, com o Olho de Hórus — Lúcifer — no topo dentro de um triângulo. Na base da pirâmide há uma faixa com as seguintes palavras latinas inscritas: NOVUS ORDO SECLORUM. Traduzido, isso significa, "Nova Ordem Mundial". A Nova Ordem Mundial é nada mais, nada menos, que o Reino do Anticristo estabelecido na Terra.

Como o dólar é a moeda oficial dos Estados Unidos, você sabe que esse símbolo é um símbolo oficial do governo americano. Dessa forma, sabemos que o governo americano está oficialmente comprometido com essa Nova Ordem Mundial desde 1776, que é o ano escrito em numerais romanos na base da pirâmide. [Explicamos esse conceito completamente no Seminário 2, "America Determines The True Flow of History" (disponível em fitas cassetes no site da The Cutting Edge].

Desde o início dos EUA, os presidentes americanos estão compromissados com a Nova Ordem Mundial e com seu super-homem, o Cristo da Nova Era (o Anticristo). Somente alguns poucos presidentes não apoiaram completamente esse plano, mas apenas alguns poucos. O atual presidente, George W. Bush, está compromissado com o avanço da Nova Ordem Mundial, e está claramente engendrando o esforço global para produzir o super-homem, O Cristo. Não se deixe enganar neste ponto. [Leia os artigos N1463, "O Presidente Norte-Americano George W. Bush — Cristão ou Iluminista?" e N1314, "O Presidente Norte-Americano é Declaradamente Membro da Sociedade Secreta Iluminista Caveira e Ossos", para conhecer os detalhes completos sobre como sabemos que Bush é Iluminista].

Quando o presidente, o Secretário da Segurança Interna, ou o chefe da FEMA (Federal Emergency Management Agency, Agência de Gerenciamento de Emergência Federal) disser a uma população aterrorizada que precisará "temporariamente" suprimir suas liberdades, lembre-se desse plano dos Protocolos, contrastando-o com a declaração original de Tom Ridge. Quando o secretário Ridge disse que o governo não permitirá que os terroristas mudem nosso estilo de vida e nos façam perder as liberdades, a realidade está exatamente no lado oposto.

Exemplo 6. Osama Bin Laden É o Líder Máximo Desta Rede Terrorista Global — Você já observou como a mídia de massa engatou completamente nessa locomotiva, transformando Osama Bin Laden em um bicho-papão? Ele foi transformado em um monstro que todos podem aprender a odiar. No entanto, entre a retórica, ouvimos o Subsecretário de Defesa Paul Wolfowitz declarar, em 13 de setembro, que capturar Osama Bin Laden e trazê-lo à justiça não significaria que vencemos a guerra contra sua rede terrorista. Em vez disso, devemos continuar nossos esforços para desarraigar e "dar um fim aos estados" que patrocinam o terrorismo e produzem terroristas. [Leia os detalhes no artigo N1542].

Quando os EUA tentarem cumprir esse objetivo, bombardeando os acampamentos de terroristas em outros países, além do Afeganistão, provavelmente provocarão tal contra-ataque dos árabes, que começará a conflagração da planejada Terceira Guerra Mundial. Esse contra-ataque muçulmano pode ser em terrorismo doméstico e em exércitos em marcha no Oriente Médio.

A realidade sobre Osama Bin Laden está na direção oposta à indicada pela retórica apresentada ao público.

Osama bin Laden é simplesmente um agente dos Illuminati mundiais, como as descaradas assinaturas ocultistas nos ataques de 11 de setembro ao World Trade Center e ao Pentágono demonstram. [Leia os detalhes nos artigos N1533, N1538 e N1541].

Exemplo 7. As Nações Unidas São a Organização Global Que Oferece a Melhor Esperança de Paz e Segurança — Os presidentes Bush (pai), Clinton, e Bush (filho) declararam repetidamente que a melhor esperança de paz e segurança no mundo reside nas Nações Unidas. Após a invasão iraquiana ao Kuwait, o presidente Bush (pai) declarou diversas vezes que aquela invasão permitiria às Nações Unidas cumprirem finalmente sua maravilhosa visão original, quando a instituição foi fundada após a Segunda Guerra Mundial.

Entretanto, a Organização das Nações Unidas foi originalmente fundada para o único propósito de ser o governo do Cristo da Nova Era, que a Bíblia chama de Anticristo. Leia o que disse o espírito-guia demoníaco, Mestre Dwhal Khul, falando por intermédio de Alice Bailey, em seu livro tremendamente importante, The Externalisation of the Hierarchy [A Exteriorização da Hierarquia]:
"Liberando nova vida no planeta... as Nações Unidas demonstrarão a potência dos valores espirituais por suas medidas construtivas para restaurar a ordem do mundo e lançar aqueles fundamentos que garantirão um estilo de vida melhor e mais espiritual. Essas atitudes e medidas construtivas precisarão ser adotadas individualmente por todas as pessoas, e pelas nações... Trazendo às nações do mundo as verdades ensinadas pelo Buda, o Senhor de Luz, e pelo Cristo, o Senhor do Amor." [pág. 358].
Observe vários fatos sobre esse parágrafo sumamente importante: 1) A ONU foi estabelecida de acordo com "valores espirituais"; entretanto, não são valores espirituais baseados na Bíblia Sagrada judaico-cristã, mas nos do Buda e nos revividos pelo Cristo dos antigos mistérios babilônios (o Anticristo). 2) Todos precisarão assumir essas atitudes construtivas; embora nenhuma punição seja mencionada para aqueles que se recusarem a adotá-las, rapidamente descobriremos que os dissidentes serão punidos. 3) Como os muçulmanos jamais aceitariam o politeísmo inerente no budismo e nos antigos mistérios babilônios do Anticristo, estão marcados para total aniquilação. Mantenha este fato em mente ao assistir os eventos no Oriente Médio se desenrolarem.
"... a Hierarquia se posicionou do lado das Nações Unidas e seja conhecido que fez isso... homens e líderes foram cuidadosamente escolhidos e discípulos selecionados foram colocados em posições de poder e de autoridade... Em vista dessa decisão da Hierarquia, o Cristo se tornou automaticamente o Líder dessas Forças." [pág. 476, escrito na Páscoa de 1945].
A Hierarquia é formada por várias entidades demoníacas de alto escalão que trabalham diretamente para produzir o Anticristo. Portanto, você pode compreender que todo líder-chave das Nações Unidas é cuidadosamente escolhido e colocado em posição de poder pelas hordas demoníacas. Além disso, O Cristo (o Anticristo) está pessoalmente liderando as Nações Unidas desde 1945!

Essa é a Organização das Nações Unidas, à qual os presidentes Bush [pai], Clinton, e Bush [filho] estão entusiasticamente entregando a soberania nacional americana. Se você não está ciente do fato que o presidente George W. Bush buscou a autorização da ONU para iniciar a guerra contra o terrorismo, precisa ler N1551, "A Contínua Erosão e Entrega da Soberania Nacional à ONU".

E este será o resultado: "A bomba atômica não pertence às três nações que a aperfeiçoaram... pertence às Nações Unidas para uso... quando ação agressiva por parte de qualquer nação erguer sua feia cabeça." [Ibidem, pág. 548].

A realidade da ONU está exatamente na direção oposta à indicada pela retórica apresentada ao público.

Conclusão

Yaohushua nos advertiu que a marca característica do vindouro Reino do Anticristo seria a enganação sem precedentes. Três vezes em Mateus 24, ele advertiu sobre a enganação. No verso 24, advertiu: "Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas, e farão tão grandes sinais e prodígios que, se possível fora, enganariam até os escolhidos."

Esse engano espiritual sem paralelos ocorreu constantemente durante todo o século XX, quando as hordas demoníacas gradualmente levaram o mundo cada vez mais para perto do tempo em que um número suficiente de pessoas seria "receptores apropriados para o Cristo" que ele já possa aparecer. Estamos atualmente nesse ponto.

Yaohu advertiu em Daniel 12:10 que, enquanto os justos compreenderiam o que está acontecendo com eles e no mundo, "nenhum dos ímpios entenderá". Hoje, os cristãos nascidos de novo cujas antenas estão ligadas e sensíveis ao fato de que os eventos estão cumprindo as profecias bíblicas estão cientes do que está acontecendo e o porquê. Entretanto, aqueles que não estão em comunhão perfeita com Yaohushua, por meio do novo nascimento e do seu sacrifício no Calvário, nunca compreenderão.

À medida que os eventos começam a explodir e o mundo caminha em direção à planejada Terceira Guerra Mundial, que possibilitará o aparecimento do Anticristo, você precisa começar a raciocinar na direção oposta à indicada pela retórica apresentada ao público. A liderança Iluminista controlou a mídia de massa durante todo o século XX e exerce um controle especialmente rígido sobre ela hoje. O que você assiste na televisão e lê nos jornais é rigidamente controlado. Quando o presidente Bush declarou que grande parte da guerra contra o terrorismo ocorrerá em segredo, você sabe que estamos sob uma forte censura. Adote o "raciocínio na direção oposta" se quiser saber o que está realmente ocorrendo ou o que está prestes a ocorrer.

Verdadeiramente, os eventos atuais demonstram que estamos vivendo nos últimos dias.

Esperamos que este ministério seja uma bênção em sua vida. Nosso propósito é educar e advertir as pessoas, para que vejam a vindoura Nova Ordem Mundial, o Reino do Anticristo, nas notícias do dia-a-dia.

http://www.espada.eti.br/n1558.asp

0 comentários :

Blogger Template by Clairvo