segunda-feira, setembro 01, 2014

VMA 2014: Sexualização Excessiva nos Fantoches da Indústria Musical


O VMA 2014 esteve focado em um único tema - um tema que foi expressado utilizando a maior parte das estrelas do show. De Nicki Minaj e Ariana Grande a Iggy Azalea e Beyonce, a imagem e o som do VMA foi sobre a mesma coisa: a "sexualização" excessiva trazida pelos fantoches Illuminati.

O VMA do ano passado foi todo sobre Miley Cyrus agindo como uma Beta kitten totalmente programada. Este ano, quase todos as artistas que subiram ao palco estavam também agindo como Beta kittens programadas. Quando os "destaques" de uma cerimônia de premiação são os implantes de bumbum de Nicki Minaj e (provavelmente) Iggy Azalea, você já sabe que não haverá muita substância lá. Após o show, a MTV informou como "notícia" o que Austin Mahone disse sobre Nicki Minaj:
"Sua bunda estava enorme. Isso era tudo que eu consegui me concentrar."
Isso resume muito bem o VMA 2014: um público estupefato olhando para bumbuns por algumas horas, misturados com alguns fantoches da indústria recebendo troféus brilhantes. Embora alguns espectadores possam dizer "Isso foi incrível!", não vamos esquecer que o público-alvo da MTV nasceu por volta do ano 2000. Eles são os que cresceram vendo isso, absorvendo essas imagens e sons. E as imagens e sons do VMA 2014 enviaram uma mensagem clara para esses jovens. 

"Oversexualization", do inglês, significa, simplesmente, "sexualizar excessivamente". Sim, fazer amor é uma parte maravilhosa da vida, mas quando esse ato é banalizado, corrompido, explorado e vendido para as mentes dos jovens imaturos isso pode produzir efeitos psicológicos e interpessoais negativos ao longo da vida. No entanto, para a elite oculta, esses efeitos são desejáveis ​​porque produzem uma população com "moral frouxa", que é exatamente o tipo de população que eles estão procurando criar.

Um gigante e assustador Olho Que Tudo Vê está permitin-
do que você saiba que a elite está patrocinando esse fiasco.

Como de costume, o VMA contou com uma pequena seleção de artistas. Até mesmo o público estava concentrado apenas em algumas pessoas, ou seja, Katy Perry, Taylor Swift, e Kim Kardashian. Em suma, o VMA 2014 foi todo sobre as kittens da indústria.

Aqui está um olhar para as principais estrelas do VMA e sua mensagem principal. Você provavelmente vai perceber que elas são todas semelhantes, quase como se estivessem controladas pelas mesmas pessoas. Notícia rápida: Elas realmente estão. 


Ariana Grande 

Ariana Grande é mais uma estrela de TV infantil 
que se transformou em uma kitten da indústria. 

Ariana Grande foi a rainha do olhar "eu sou tão jovem e inocente" durante sua carreira na televisão. Esse olhar agora foi combinado com trajes pequenos para agradar pervertidos ao redor do mundo. Até mesmo o apresentador do programa, Jay Farrow, comentou sobre a sensação de desconforto causada pela performance de Ariana.
"Sam e Cat" foi um programa da Nickelodeon
popular entre as crianças menores de 12 anos.
Ariana Grande está arrasando agora. Eu estou atraído por ela e, você sabe, eu me sinto um pouco estranho com isso, porque... ela parece muito novinha, não é? Você não pode ser um homem crescido que gosta de "Sam e Cat", assim como seu sobrinho de cinco anos. Ele fala assim: "Tio, eu gosto dela". E eu: "Eu gosto dela também querido, ela é incrível". 
A co-estrela de Ariana, Jennette McCurdy, causou controvérsia quando 
selfies reveladores "vazaram" online. Mais uma vez, os jovens fãs testemu-
nharam a transformação de uma jovem garota que eles idolatravam em 
um produto da indústria Beta Kitten.

Ariana Grande está recebendo um grande impulso da indústria para lançar sua carreira. Sem surpresa, ela já está promovendo as mensagens e simbolismo que vêm com o ser um fantoche da indústria.

Em seu vídeo "Break Free", a Árvore da Vida Cabalística é usada para lançar 
a nave espacial. Não ao contrário de Madonna, Britney Spears e outras kittens 
da indústria, Ariana Grande está na "Cabala de Hollywood".


O selo oficial de peão da indústria.


Nicki Minaj

Releia o título deste artigo para entender completamente esta imagem. 

Nicki Minaj tem sido usada para promover todos os tipos de agendas nos últimos anos. Seu mais recente single, "Anaconda", é uma continuação daquilo que a indústria quer que ela faça. Sua música tem trechos de "Baby Got Back" de Sir Mix-A-Lot e usa várias vezes o verso "Minha anaconda não quer nada, a menos que você tenha pães", que pode ser traduzido para "Você não vai atrair os caras, se você não tiver um gigantesco bumbum como o de Nicki Minaj". Quando Sir Mix-A-Lot cantava esse verso na canção original parecia até meio engraçado, mas, no contexto da canção de Minaj, tornou-se uma maneira de fazer as jovens se sentirem inadequadas. 

Se você for capaz de não se concentrar exclusivamente em sua bunda e ouvir a letra, você vai perceber que cada verso fala sobre Nicki com um cara diferente. Porque ele tem dinheiro. Bastante motivador.

Esse cara chamado Michael costumava comprar motos
P*nis maior do que uma torre, não estou falando sobre a Eiffel
Um verdadeiro cara patriarca, me deixa brincar com sua espingardaA garota aqui botou ele pra dormir, agora ele está me chamando de remédio NyQuil
Agora esse bangue bangue bangue, eu o deixei transar porque ele vende cocaína
Ele faz sexo oral como se seu nome fosse Romaine
E quando a gente termina, eu faço ele me comprar alface
Estou no meio de algumas idiotices

O último verso desse trecho é bastante verdade. Mas as coisas ficam piores. Uma parte da música diz repetidamente: "Oh. Meu. Meu Deus. Olhe para a bunda dela". Entretanto, durante sua performance Nicki balançou seu traseiro cirurgicamente ampliado continuamente. É nesses momentos de clareza em que você percebe que a nossa civilização atingiu um novo patamar cultural e que não estamos longe do estilo de decadência romano. 

Claro, pode-se dizer: "É uma música divertida sobre bundas grandes! Supere isso companheiro!". Bom, tudo bem, amigo. Vamos olhar para a outra performance dada por Minaj:

Usher encosta a cabeça na traseira de Minaj e depois dá um tapinha nela. 

Não era apenas uma canção. A premiação inteira foi sobre vender essas coisas através de fantoches da indústria. 

O selo oficial de peão da indústria.


Jessie J

Jessie J e as amigas após a performance de "Bang Bang". 
Como se para destacar a verdadeira mensagem da premiação,
Nicki Minaj mal conseguia segurar suas roupas.

Por alguma razão, Jessie J é sempre convidada a grandes eventos. Talvez seja porque ela sempre esteve comprometida com a Agenda Illuminati. Neste caso, sua música "Bang Bang" se encaixa perfeitamente no tema principal do VMA 2014. Aqui está o refrão da música:
Bangue-bangue, no quarto (eu sei que você quer)
Bangue-bangue, todinho em você (vou deixar você ter)
Espere um minuto, vou te levar para lá (ah)
Espere um minuto, vou te contar
Bangue-bangue, lá vai o seu coração (eu sei que você quer)
No banco de trás do meu carro (vou deixar você ter isso)
Espere um minuto, vou te levar para lá (ah)
Espere um minuto, vou te contar
Jessie J é apenas mais um fantoche vendendo essas mensagens para os jovens.

O selo oficial de peão da indústria.


Iggy Azalea e Rita Ora 

Iggy Azalea desceu o nível durante a apresentação de "Black Widow".

Iggy Azalea e Rita Ora ambas já foram destaques no KIP porque promovem a Agenda Illuminati. No VMA, ela cantou a música "Black Widow", que é o nome de peçonhentas aranhas fêmeas que comem os machos após o acasalamento. Adivinha sobre o que a canção fala? Sim, copular com um cara e matá-lo depois. Cópula vingativa e má misturada com a morte. Esse é o tipo de porcaria que a indústria gosta de promover.

Duas artistas, dois selos oficiais de peões da indústria. 


Beyonce

Um monte de pernas espalhadas durante esta premiação.

Não diferente dos VMAs dos últimos anos, Jay-Z e Beyoncé atuaram como a "família real" da premiação. Beyoncé recebeu o prêmio Video Vanguard e começou a apresentar uma série de canções. Beyonce sendo premiada nessa edição do VMA faz sentido, já que durante anos ela foi a figura principal da indústriakitten. Beyoncé tem sido usada para promover todos os aspectos da agenda da elite.

Como esperado, a performance de Beyoncé ficou bastante atrevida e explícita. Aqui está um trecho de sua música "Partition".
Motorista suba a divisória, por favor
Motorista suba a divisória, por favor
Não preciso que você veja "Yonce de joelhos'
Foram necessários 45 minutos para ficar arrumada
Nem vamos conseguir chegar nessa balada
Agora o meu rímel está escorrendo
O batom vermelho borrado
Oh ele está tão excitado, ele quer transar
Ele desabotoou todos os meus botões e rasgou minha blusa
Ele, no estilo da Monica Lewinsky, estava no meu vestido 
Isso foi entrelaçado de uma forma um pouco confusa com o feminismo.

Nada disso faz sentido. Para terminar, isso foi 
seguido por ela cantando "Curvem-se v*dias". 

Enquanto Beyonce estava cantando, a câmara se manteve em Jay-Z e Blue Ivy.

"Olha, mamãe está no pole dance de strippers agora". 


Embora a presença de Blue Ivy tenha sido um pouco reconfortante, há uma questão que é preciso ser feita. Ninguém mais está trazendo seus filhos? Por que ela é tão presente e divulgada? Ela precisa estar nesses holofotes? No contexto desses VMAs - que são quase dramas ritualísticos, sim, ela precisava estar lá. Ela é a herdeira do casal real. Como todos os jovens de todo o mundo, ela testemunhou algumas horas de intensa "sexualização". E depois ela viu a mãe conseguir um troféu por isso. A Agenda é sobre a implementação de valores para a geração mais jovem e Blue Ivy representou isso. E é assim que o VMA terminou.

Selo oficial de peão da indústria. 


Conclusão

O VMA desse ano não conteve o simbolismo oculto habitual que é descrito no site. Na verdade, ele não conteve muita substância. Ele focou exclusivamente em uma parte essencial da agenda: sexualizar os jovens e expô-los a mensagens humilhantes e degradantes. Trata-se de associar arte, música e criação com a exploração da lascívia. Como visto nas letras e imagens acima, as "estrelas" do show não são artistas independentes, elas são marionetes partes do mesmo sistema, todas ligadas pelo "sinal do um olho".

Em um mundo ideal, esse tipo de espetáculo levaria os espectadores a questionar o estado da arte e cultura da sociedade moderna, que está constantemente afundando para novos níveis. Faria telespectadores perguntarem-se por que a "música" tornou-se uma fossa homogênea de mensagens excessivamente estimulantes e entorpecentes. Infelizmente, a maioria dos espectadores tiveram apenas uma reação ao assistir ao VMA 2014: "Olhe para a bunda dela!"

Um comentário :

  1. agradeça essa sexualizaçâo a Madonna que ficou famosa por sua performanse na entrega do grammi, não em grupos imaginários ou em historias da carochinha.

    ResponderExcluir

Blogger Template by Clairvo