domingo, setembro 07, 2014

O Filme 9: Anunciando a Era de Hórus


"9", de Tim Burton é um filme de animação que foi lançado no dia 9/9/09. Embora alguns críticos tenham afirmado que o filme "não tinha substância", ele, no entanto, transmite, através de mensagens poderosas, muito simbolismo. Ele ainda define uma "nova era" para a humanidade, como visto por sociedades secretas ocultistas. Nós vamos analisar o significado esotérico de "9".

Atenção: spoilers gigantescos à frente!

"9" se passa em um mundo pós-apocalíptico, escuro, onde máquinas inteligentes que auto-reproduzem destruíram toda a vida na Terra. Neste cenário desolado, uma pequena relíquia da humanidade continua: Nove bonecos de pano animados pela alma de um cientista. Esses bonecos, no entanto, são constantemente alvo das máquinas que estão determinadas a erradicar qualquer coisa parecida com a vida na Terra. Os bonecos devem, portanto, se unir para lutar e destruir esses robôs do mal .


O parágrafo acima resume muito bem o enredo de "9" em sua totalidade - e isso é provavelmente o que a maioria dos espectadores entenderam do filme. No entanto, como todas as obras infundidas com uma dimensão esotérica, há mais no filme do que os olhos possam perceber. Através de simbolismo e referências, o filme descreve a humanidade como um todo e a fase de transição pela qual está passando. Mais precisamente, "9" descreve o mundo como visto por sociedades ocultas secretas e a "nova era" que eles todos estão prevendo: a Era de Hórus ou a Era de Aquário.

Antes de analisarmos o filme, vamos entender a filosofia oculta por trás dele. 


A Era de Hórus 

A elite ocultista acredita que a humanidade precisa passar por um período de grande tribulação para que ela "se livre de suas impurezas". De acordo com os escritores ocultistas, essas "impurezas" incluem as religiões tradicionais e governos como os conhecemos. Manly P. Hall, um maçom de grau 33, descreve o que deve acontecer na próxima fase da humanidade. Mais tarde, vamos ver como isso se encaixa perfeitamente com a visão retratada em "9".

"Os pregoeiros dos Mistérios falam de novo, oferecendo a todos os homens bem-vindos à Casa da Luz. A grande instituição da materialidade falhou. A falsa civilização construída pelo homem se transformou e, como o monstro de Frankenstein, está destruindo o seu criador. A religião vagueia sem rumo no labirinto de especulação teológica. A Ciência bate em si mesma impotentemente contra as barreiras do desconhecido. Somente a filosofia transcendental sabe o caminho. Só a razão iluminada pode levar a parte consciente do homem para cima, para a luz. Somente a filosofia pode ensinar ao homem a nascer bem, viver bem, morrer bem, e em medida perfeita nascer de novo". [Manly P. Hall, The Secret Teachings of All Ages.]

O ocultista mais importante do século 20, Aleister Crowley, afirmou que os últimos 2000 anos foram a "Era de Osíris". Osíris era o "rei dos vivos e governante dos mortos" e sua era foi caracterizada por governos fortes e religiões, nomeadamente "a ênfase sobre a morte, o sofrimento, a tristeza e a negação do corpo" do cristianismo. No entanto, desde o século 20, Crowley afirma que a humanidade entrou na Era de Hórus, que é o filho de Osíris. Nesta fase, os seres humanos iriam aprender a tornar-se seus próprios deuses.

"Em linguagem simples, o Aeon de Hórus significa que a divindade está sendo passada para o indivíduo que precisa aprender a ativar e encontrar o deus interior dentro deles mesmos. Esse último Aeon vê o começo do fim do poder e da autoridade divina sendo possuída por reis, rainhas, religiões, governos, grandes instituições e ditaduras, que cada vez mais todos começam a falhar espetacularmente. O indivíduo terá a oportunidade de se tornar totalmente livre, no comando de seu próprio destino espiritual." [Paul Dunne, The Magic of the New Aquarian Age and the New Aeon of Horus.]

Através de simbolismo sutil, "9" descreve a queda da autoridade (principalmente da Igreja Cristã), em uma era nova governada pela filosofia luciferiana de obter divindade por meio de suas próprias forças. Usando bonecos de pano e muito pouco diálogo, "9" descreve a base dessa filosofia oculta e mostra como ela vai prevalecer. 

Os heróis do filme são eles próprios o produto de um conceito ocultista antigo: São homúnculos, "pequenos homens" artificialmente criados através de um processo mágico. Eles são o epítome do homem brincando de Deus e dando a vida .


Homúnculo

O cientista cria 9, o último dos nove homúnculos que permanecem na Terra.

Homúnculo (latim para "pequenos homens") é um conceito que pode ser encontrado em vários documentos alquímicos antigos. No folclore judaico, o Golem, um ser antropomórfico animado criado inteiramente da matéria inanimada, está documentado no Talmud e no Sefer Yetzirah (há até mesmo relatos de Cabalista rabinos animando com sucesso esses Golems).

Por um breve momento, o filme reconhece as raízes ocultas da sua premissa:

Visível por cerca de meio segundo, a capa deste livro explica a origem dos
bonecos de pano e indica o significado oculto por trás de todo o filme. Você pode
reconhecer o símbolo onipresente do Olho Que Tudo Vê dentro de um 
triângulo. No entanto, o título do livro é ainda mais revelador. 

O título do livro, "Annuls of Percelsus", diz basicamente aos telespectadores: "Este filme é baseado na filosofia hermética e na alquimia". Percelsus foi um dos ocultistas mais famosos do Renascimento. Seu trabalho no campo do hermetismo, alquimia e medicina ainda é minuciosamente estudado até hoje, em praticamente todos os círculos ocultistas.

"Em qualquer assunto de Realização e Ritual, Percelsus é uma autoridade mágica imponente. Ninguém tem realizado obras maiores do que as suas, e por essa mesma razão ele esconde a virtude de cerimônias e somente ensina em sua filosofia oculta a existência desse agente magnético que é a onipotência da vontade, ele resume também toda a ciência de caracteres em dois sinais, as estrelas macro e microscópica. Era suficiente para os adeptos, e era importante não iniciar o vulgar. Percelsus, portanto, não ensinou o Ritual, mas ele praticou, e sua prática foi uma seqüência de milagres." [Eliphas Levi, Rituel de la Haute Magie.]

A obra de Percelsus "De Natura Rerum" (1537) é a primeira obra alquímica que menciona a criação de homúnculos. Na verdade, ela descreve uma técnica para criar um "homenzinho" utilizando esterco de cavalo e esperma humano.

O conceito de criação de homúnculos posteriormente apareceu em outros textos ocultos seminais, como a obra Rosacruziana "Casamento Alquímico" de Christian Rosenkreutz (1616) e de Johann Wolfgang von Goethe, "Faust - Parte 2" (a lenda alemã sobre um homem que faz um pacto com o diabo). Mais recentemente, Aleister Crowley e seus seguidores ficaram obcecados com a criação de um homúnculo (Crowley usava o termo "Moonchild"). Crowley até mesmo acrescentou a criação de um homúnculo como uma "instrução secreta" quando se iniciou ao 10º grau na OTO (uma sociedade secreta ocultista).

Com essa referência , "9", portanto, bate em uma parte crucial do ocultismo ocidental.

Gravura do século 19 representando a criação de 
um homúnculo em "Faust parte II", de Goethe.

Em "9", os bonecos de pano lêem "Annuls of Peracelsus" e 
encontram um desenho que documenta a sua criação. Esse desenho
foi provavelmente inspirado na gravura de Faust acima. 

Além da criação de um homúnculo, o filme inclui também outras partes da pesquisa de Peracelsus, tais como o uso de Talismãs mágicos carregados e uma ferramenta que Peracelsus utilizou para tratar os pacientes. 

Entender que a história por trás de "9" está mergulhada no ocultismo antigo dá ao enredo do filme uma cor específica: ele descreve o mundo como visto pelos membros de sociedades secretas ocultistas. A evolução dos personagens em "9" diz tudo. 


Os Personagens 

Os heróis do filme são nove bonecos de pano criados por um cientista que infundiu alma dentro deles, a fim de dar-lhes vida. Ele, então, morreu, junto com o resto da humanidade. Cada um dos bonecos de pano incorpora uma parte da alma do cientista e personifica um de seus traço. Em uma escala maior, cada um desses bonecos de pano representa um grupo dentro da humanidade como um todo. O destino de cada boneco representa o que os ocultistas prevêem que acontecerá na Era de Hórus. 


1: O Papa 

Os bonecos de pano são nomeados e numerados na ordem em que são criados, então 1 é o mais antigo do grupo. Sua posição de autoridade e as suas vestes distintivas fazem dele o líder do grupo. Dado o seu traje, é bastante claro que 1 representa o poder e a autoridade da Igreja Católica (e as religiões em geral).

1 usa uma capa e detém um cetro, símbolos de poder. Em seu 
chapéu está amarrada uma moeda, simbolizando a riqueza da Igreja.

1 é teimoso, medroso, dogmático, covarde, e mente pequena. Em suma, ele representa todos os defeitos da Igreja como percebido pelos grupos ocultistas de elite. Na primeira parte do filme, uma força todos os bonecos se esconderem em uma catedral decrépita, desencorajando seus seguidores para se aventurarem fora dela. Ele quer que seus seguidores fiquem escondidos e ignorantes visto que ele acredita que isso é a melhor maneira de permanecer vivo. 

À medida que o filme avança, no entanto, 1 perde a sua autoridade, seu cetro e sua capa. Ele até perde a moeda em seu chapéu. Esse período de transição, em última análise, representa a queda das religiões na Era de Hórus e sua perda de poder, riqueza e autoridade. 

Em um momento, a Catedral de 1 é atacada por robôs de um olho 
só, tocando fogo nela, forçando o grupo a se esconder na biblioteca.
É difícil encontrar uma imagem mais reveladora que represente 
a queda das religiões no limiar de uma nova era.

Depois que a Catedral é queimada, o grupo se esconde na Biblioteca. Lá eles descobrem "Annuls of Peracelsus", um livro de ocultismo descrevendo a criação dos bonecos de pano. 1 é contra os bonecos lerem esse livro. 

Quando os bonecos abrem o livro Peracelsus,
1 rasga a página que descreve a sua criação.

Em um momento, 1 diz:
- A ciência das Trevas. O que esse lixo inútil faz por nós? Esqueça!"

Para tal, 9 responde: 
- Você sabe de alguma coisa. O que você sabe?

1 responde: 
- Eu sei o suficiente para deixar o antigo mal deles apodrecer. Olha o que eles fizeram conosco.

Será que essa cena representa elites religiosas segurando conhecimento oculto enquanto proíbem seus seguidores de procurá-lo? 1 fala exatamente como as sociedades secretas vêem a Igreja e como eles querem que o mundo veja a Igreja... a fim de abandoná-la.


9: O portador da Luz

9 é o herói do filme. Não diferente de 1, ele também está associado a um objeto que tem um significado pesado: uma lâmpada em uma vara . 

O poster do filme retrata 9 segurando a lanterna elétrica. Note que 
a data de lançamento do filme foi 9-9-09 , um olá para a numerologia
ocultista e um dos flertes do filmes com o número da besta, 666.

9 é praticamente o oposto do 1. Ele é o mais jovem do grupo, intrépido, corajoso, curioso, e resolveu resolver seus problemas pelos seus próprios meios. Em suma, ele é como os grupos ocultistas se enxergam. 9 também tem o emblema favorito de escolas de mistério, uma tocha acesa - um olá para Prometeu, o portador do fogo (conhecimento divino) para a humanidade.

"Prometeu traz Fogo", por Heinrich Friedrich Füger.

A versão judaico-cristã de Prometeu é Lúcifer, que é uma palavra latina que significa portador da luz". 9 representa a interpretação de Lúcifer das Escolas de Mistérios: Um salvador que "iniciou" a humanidade para o conhecimento divino e abriu um caminho para a divindade (Lúcifer deu a Adão e Eva o conhecimento do bem e do mal) .

Enquanto 1 aparentemente aguarda uma intervenção divina para salvar o mundo, 9 representa o conceito Luciferiano/Prometeniano de alcançar a divindade através de nossos próprios meios. No final do filme, 9 faz exatamente isso e ainda traz a vida de volta na Terra.

Neste filme, que se passa em um período de transição da humanidade - entre a Era de Osíris e a Era de Hórus - 9 simbolicamente representa o princípio luciferiano de derrubar religiões tradicionais... e salvar o mundo. 


Outros Personagens Notáveis 

6 é um visionário obcecado com um símbolo que acaba por ser o 
talismã necessário para guardar os bonecos. Se você olhar atentamente
para os esboços de 6, você pode notar que eles contêm três 6.

5 é um inventor que perdeu um olho. Na verdade, ele diz a certa 
altura: "Na verdade eu não me importo de ter um olho. É mais fácil para 
mim, posso me concentrar em uma coisa de cada vez, entende...? "Ele
é um dos muitos "olás" para os sinais do "um olho" no filme. Na 
verdade, todos os robôs do mal no filme também tem um olho. 

Aqui está um robô do mal com um olho só.

Aqui está outro robô caolho do mal. Em suma, se você estiver olhando 
aos bonecos de pano ou aos robôs, há sempre alguma coisa relacionada
ao "um olho" só acontecendo. É uma maneira de dizer que todo o
filme é uma mensagem da elite oculta?

3 e 4 são gêmeos e trabalham de historiador e arquivista. 7 é uma guerreira 
destemida e a única mulher do grupo. Esses três personagens rejeitaram a
regra de 1 na Catedral e buscaram refúgio na Biblioteca, o lugar onde todo o 
conhecimento (incluindo o conhecimento oculto) é armazenado. Quando a 
Catedral é queimada, todas os bonecos (incluindo 1) escondem na Biblioteca. 
Mais uma vez, o conhecimento e a coragem são retratados como 
o oposto de 1, o representante da religião.


O Expurgo para Salvar a Humanidade 

Os bonecos fogem da Catedral que se queima e buscam refúgio na Biblioteca, onde 3, 4 (o historiador e arquivista) e 7 (a guerreira) já vivem.

Essa parte da história é reveladora porque representa a "evolução" que as sociedades secretas ocultistas querem ver no mundo. Desde o tempo dos Cavaleiro Templários, sociedades secretas ocultistas têm acusado a Igreja de sufocar conhecimento, ciência e progresso. É difícil encontrar um escritor oculto que não extensivamente denuncia o papel da Igreja em censurar conhecimento oculto e punir aqueles que o ensinavam ou praticavam. O movimento da Catedral para a Biblioteca representa, portanto, o abandono das religiões para o conhecimento.

Mudar-se para a Biblioteca não é, contudo, suficiente. Os robôs ainda encontram os bonecos e os atacam. No final, os sacrifícios devem ser feitos e alguns elementos devem ser "eliminados" para que o grupo sobreviva. 

A elite oculta enxerga a evolução da humanidade como um processo alquímico em curso. O objetivo da alquimia é transformar metais brutos em ouro e acredita-se que a humanidade precisa se transformar usando o mesmo processo. A primeira fase da Grande Obra alquímica é chamada Nigredo - escurecimento. Essa fase representa o processo de queima, transformando a matéria-prima em cinzas negras, a fim de quebrá-la e removê-la de suas impurezas. Em "9", o mundo está indo definitivamente pela fase Nigredo: está escuro, queimado e em ruínas. 

O final do filme é também extremamente simbólico. 9 cria uma fogueira na forma de uma estrela de cinco pontas para libertar as almas dos bonecos que foram mortos pelos robôs.

9 cria uma fogueira que vai libertar as almas de 1, 2, 5 e 8. Na Nova Era, 
os ocultistas acreditam que alguns elementos da humanidade devem ser 
"purificados". Embora eles possam ter sido úteis durante o período
anterior, eles são agora considerados ultrapassados.

Os quatro bonecos que permanecem vivos para ver a Nova Era
são 9, 7, 3 e 4... por coincidência, os quatro que desafiaram a regra
de 1. Essa é basicamente a mensagem de todo o filme.

Depois da fogueira, 7 pergunta a 9:
"- O que acontece em seguida?" 
"- Eu não sei exatamente. Mas esse mundo é nosso agora. É o que fazemos dele."
Em seguida, começa a chover e nós vemos os organismos vivos nas gotas de água. O expurgo permitiu a vida ser trazida de volta para a Terra e somente os representantes do princípio luciferiano sobreviveram. 


Conclusão

Quando damos um primeiro olhar, superficial, ao filme "9" e seu material promocional, somos inclinados a pensar que é um filme infantil, com um toque um pouco "dark". Os críticos resumiram o filme como sendo "bonitinho com pouca substância". Eles podem ter entendido a mensagem de que muita tecnologia é ruim, mas a verdadeira mensagem esotérica, e mais profunda, foi provavelmente perdida pela maioria. 

No entanto, quando se entende o conhecimento por trás usado para construir o enredo, as referências ocultas e a filosofia global do filme, é fácil ver uma dimensão inteiramente diferente para o filme. "9" fala sobre a humanidade atravessar um período de transição, abraçando um salvador Prometeniano/Luciferiano e destruir o Estado de poderes tradicionais, como a religião. 

Aleister Crowley acredita que esse período de transição é agora. Ele chamou essa nova era de Aeon de Hórus. Hórus era o filho de Osíris e Ísis, e, por essa razão , acredita-se que a humanidade está a tomar as características de uma criança. Depois de encontrar a "Raiz da Revelação", em um museu egípcio (era a exposição nº 666 ), Crowley escreveu o seguinte sobre a vindoura Nova Era:

"Hórus rege o presente período de 2,000 anos, começando em 1904. Em todos os lugares seu governo está criando raízes. Observem vocês mesmos a queda do senso de pecado, o crescimento da inocência e da irresponsabilidade, as estranhas modificações do instinto reprodutivo com tendência a tornar-se bissexual ou hermafrodita, a confiança infantil no progresso combinado com medo pesadelo da catástrofe, contra os quais estamos ainda metade dispostos a tomar precauções. 
Considere o afloramento das ditaduras, possível somente quando o crescimento moral está em seus estágios iniciais, e a prevalência dos cultos infantis como Comunismo, Fascismo, Pacifismo, Doenças Mentais, Ocultismo, em quase todas as suas formas, religiões sentimentalizadas ao ponto de extinção prática. 
Considere a popularidade do cinema, o rádio, as associações de futebol e competições de adivinhação, todos os dispositivos para acalmar bebês irritadiços, nenhuma semente de finalidade neles. 
Considere o esporte, o entusiasmo infantil e a fúria que ele provoca, nações inteiras perturbadas por disputas entre garotos. 
Considere a guerra, as atrocidades que ocorrem diariamente e deixam-nos impassíveis e dificilmente preocupados. 
Somos crianças." [Aleister Crowley, Book of the Law on New Aeon/Age of Horus.]

Isto é o que o filme "9" mostra. Mas há uma pergunta que o filme não responde: a humanidade está organicamente entrando nessa fase da História ou está sendo forçada e provocada pelos poderes constituídos a fim de que alcancem sua própria "Grande Obra"? 

5 comentários :

quinta-feira, setembro 04, 2014

Bíblia: A Escritura Transgênica

Uma verdade Inconveniente


A Verdade é que a produção de Bíblias ("cópias" ou “versões” das Escrituras Sagradas) nunca estivera no coração de YAOHU UL, o Ser Eterno Supremo Criador. Talvez esta colocação tenha deixado você um tanto chocado.

Escrituras adulteradas
Não são os sacerdotes romanos os que têm obtido o maior sucesso espalhando o engano, ou as pseudodoutrinas apregoadas por milhares de seitas, mas sim o cânon. As versões fraudulentas das Escrituras é que são produtoras do efeito mais devastador porque foram dolosamente modificadas pelas "raposas" religiosas. Refiro-me às Bíblias Traduzidas. Versões, ou cópias corrompidas. Sim, o maior "best seller" de todos os tempos é também o livro que mais contribui para desviar as pessoas da verdade em todo o mundo. 

Chocado? Saiba que muitas pessoas estão tão convencidas da "inerrância" deste livro que é impossível sequer levá-las a uma revisão dos seus conceitos. São pessoas as quais a engenhosa arte editorial de hasatã (satanás) selou o destino.

Escrituras verdadeiras
Vejam que trabalho sinistro e ao mesmo tempo magistral! Quantas denominações e pessoas sinceras investem tempo e recursos com o fim de "apressar a volta de Jesus", pregando o (falso) evangelho a toda a criatura, até os confins da terra! Quantas pessoas, entendendo estarem realizando um gesto louvável, sustentam missionários dentro e fora dos seus países, para divulgar o evangelho da perdição!

A dura realidade é que quanto mais essa "escritura transgênica" que misturou letal veneno ao verdadeiro alimento é disseminada de forma insuspeita, mais gente se afasta da verdade e é enredada pelos "operadores" do erro (sacerdotes, pregadores, pastores). Milhões e milhões de pessoas estão partindo para a eternidade na condição de "convertidas" pela "mensagem híbrida" e "salvas" pelo falso cristo, deixando para trás os familiares com a certeza de que as suas vidas piedosas são a garantia de que foram salvas.

O maior paradoxo do mundo é constatar que a bíblia (versões adulteradas) tem sido a maior responsável, não pela revelação do Salvador, mas pelo engano, que é também o passaporte para a condenação eterna.

4 comentários :

segunda-feira, setembro 01, 2014

VMA 2014: Sexualização Excessiva nos Fantoches da Indústria Musical


O VMA 2014 esteve focado em um único tema - um tema que foi expressado utilizando a maior parte das estrelas do show. De Nicki Minaj e Ariana Grande a Iggy Azalea e Beyonce, a imagem e o som do VMA foi sobre a mesma coisa: a "sexualização" excessiva trazida pelos fantoches Illuminati.

O VMA do ano passado foi todo sobre Miley Cyrus agindo como uma Beta kitten totalmente programada. Este ano, quase todos as artistas que subiram ao palco estavam também agindo como Beta kittens programadas. Quando os "destaques" de uma cerimônia de premiação são os implantes de bumbum de Nicki Minaj e (provavelmente) Iggy Azalea, você já sabe que não haverá muita substância lá. Após o show, a MTV informou como "notícia" o que Austin Mahone disse sobre Nicki Minaj:
"Sua bunda estava enorme. Isso era tudo que eu consegui me concentrar."
Isso resume muito bem o VMA 2014: um público estupefato olhando para bumbuns por algumas horas, misturados com alguns fantoches da indústria recebendo troféus brilhantes. Embora alguns espectadores possam dizer "Isso foi incrível!", não vamos esquecer que o público-alvo da MTV nasceu por volta do ano 2000. Eles são os que cresceram vendo isso, absorvendo essas imagens e sons. E as imagens e sons do VMA 2014 enviaram uma mensagem clara para esses jovens. 

"Oversexualization", do inglês, significa, simplesmente, "sexualizar excessivamente". Sim, fazer amor é uma parte maravilhosa da vida, mas quando esse ato é banalizado, corrompido, explorado e vendido para as mentes dos jovens imaturos isso pode produzir efeitos psicológicos e interpessoais negativos ao longo da vida. No entanto, para a elite oculta, esses efeitos são desejáveis ​​porque produzem uma população com "moral frouxa", que é exatamente o tipo de população que eles estão procurando criar.

Um gigante e assustador Olho Que Tudo Vê está permitin-
do que você saiba que a elite está patrocinando esse fiasco.

Como de costume, o VMA contou com uma pequena seleção de artistas. Até mesmo o público estava concentrado apenas em algumas pessoas, ou seja, Katy Perry, Taylor Swift, e Kim Kardashian. Em suma, o VMA 2014 foi todo sobre as kittens da indústria.

Aqui está um olhar para as principais estrelas do VMA e sua mensagem principal. Você provavelmente vai perceber que elas são todas semelhantes, quase como se estivessem controladas pelas mesmas pessoas. Notícia rápida: Elas realmente estão. 


Ariana Grande 

Ariana Grande é mais uma estrela de TV infantil 
que se transformou em uma kitten da indústria. 

Ariana Grande foi a rainha do olhar "eu sou tão jovem e inocente" durante sua carreira na televisão. Esse olhar agora foi combinado com trajes pequenos para agradar pervertidos ao redor do mundo. Até mesmo o apresentador do programa, Jay Farrow, comentou sobre a sensação de desconforto causada pela performance de Ariana.
"Sam e Cat" foi um programa da Nickelodeon
popular entre as crianças menores de 12 anos.
Ariana Grande está arrasando agora. Eu estou atraído por ela e, você sabe, eu me sinto um pouco estranho com isso, porque... ela parece muito novinha, não é? Você não pode ser um homem crescido que gosta de "Sam e Cat", assim como seu sobrinho de cinco anos. Ele fala assim: "Tio, eu gosto dela". E eu: "Eu gosto dela também querido, ela é incrível". 
A co-estrela de Ariana, Jennette McCurdy, causou controvérsia quando 
selfies reveladores "vazaram" online. Mais uma vez, os jovens fãs testemu-
nharam a transformação de uma jovem garota que eles idolatravam em 
um produto da indústria Beta Kitten.

Ariana Grande está recebendo um grande impulso da indústria para lançar sua carreira. Sem surpresa, ela já está promovendo as mensagens e simbolismo que vêm com o ser um fantoche da indústria.

Em seu vídeo "Break Free", a Árvore da Vida Cabalística é usada para lançar 
a nave espacial. Não ao contrário de Madonna, Britney Spears e outras kittens 
da indústria, Ariana Grande está na "Cabala de Hollywood".


O selo oficial de peão da indústria.


Nicki Minaj

Releia o título deste artigo para entender completamente esta imagem. 

Nicki Minaj tem sido usada para promover todos os tipos de agendas nos últimos anos. Seu mais recente single, "Anaconda", é uma continuação daquilo que a indústria quer que ela faça. Sua música tem trechos de "Baby Got Back" de Sir Mix-A-Lot e usa várias vezes o verso "Minha anaconda não quer nada, a menos que você tenha pães", que pode ser traduzido para "Você não vai atrair os caras, se você não tiver um gigantesco bumbum como o de Nicki Minaj". Quando Sir Mix-A-Lot cantava esse verso na canção original parecia até meio engraçado, mas, no contexto da canção de Minaj, tornou-se uma maneira de fazer as jovens se sentirem inadequadas. 

Se você for capaz de não se concentrar exclusivamente em sua bunda e ouvir a letra, você vai perceber que cada verso fala sobre Nicki com um cara diferente. Porque ele tem dinheiro. Bastante motivador.

Esse cara chamado Michael costumava comprar motos
P*nis maior do que uma torre, não estou falando sobre a Eiffel
Um verdadeiro cara patriarca, me deixa brincar com sua espingardaA garota aqui botou ele pra dormir, agora ele está me chamando de remédio NyQuil
Agora esse bangue bangue bangue, eu o deixei transar porque ele vende cocaína
Ele faz sexo oral como se seu nome fosse Romaine
E quando a gente termina, eu faço ele me comprar alface
Estou no meio de algumas idiotices

O último verso desse trecho é bastante verdade. Mas as coisas ficam piores. Uma parte da música diz repetidamente: "Oh. Meu. Meu Deus. Olhe para a bunda dela". Entretanto, durante sua performance Nicki balançou seu traseiro cirurgicamente ampliado continuamente. É nesses momentos de clareza em que você percebe que a nossa civilização atingiu um novo patamar cultural e que não estamos longe do estilo de decadência romano. 

Claro, pode-se dizer: "É uma música divertida sobre bundas grandes! Supere isso companheiro!". Bom, tudo bem, amigo. Vamos olhar para a outra performance dada por Minaj:

Usher encosta a cabeça na traseira de Minaj e depois dá um tapinha nela. 

Não era apenas uma canção. A premiação inteira foi sobre vender essas coisas através de fantoches da indústria. 

O selo oficial de peão da indústria.


Jessie J

Jessie J e as amigas após a performance de "Bang Bang". 
Como se para destacar a verdadeira mensagem da premiação,
Nicki Minaj mal conseguia segurar suas roupas.

Por alguma razão, Jessie J é sempre convidada a grandes eventos. Talvez seja porque ela sempre esteve comprometida com a Agenda Illuminati. Neste caso, sua música "Bang Bang" se encaixa perfeitamente no tema principal do VMA 2014. Aqui está o refrão da música:
Bangue-bangue, no quarto (eu sei que você quer)
Bangue-bangue, todinho em você (vou deixar você ter)
Espere um minuto, vou te levar para lá (ah)
Espere um minuto, vou te contar
Bangue-bangue, lá vai o seu coração (eu sei que você quer)
No banco de trás do meu carro (vou deixar você ter isso)
Espere um minuto, vou te levar para lá (ah)
Espere um minuto, vou te contar
Jessie J é apenas mais um fantoche vendendo essas mensagens para os jovens.

O selo oficial de peão da indústria.


Iggy Azalea e Rita Ora 

Iggy Azalea desceu o nível durante a apresentação de "Black Widow".

Iggy Azalea e Rita Ora ambas já foram destaques no KIP porque promovem a Agenda Illuminati. No VMA, ela cantou a música "Black Widow", que é o nome de peçonhentas aranhas fêmeas que comem os machos após o acasalamento. Adivinha sobre o que a canção fala? Sim, copular com um cara e matá-lo depois. Cópula vingativa e má misturada com a morte. Esse é o tipo de porcaria que a indústria gosta de promover.

Duas artistas, dois selos oficiais de peões da indústria. 


Beyonce

Um monte de pernas espalhadas durante esta premiação.

Não diferente dos VMAs dos últimos anos, Jay-Z e Beyoncé atuaram como a "família real" da premiação. Beyoncé recebeu o prêmio Video Vanguard e começou a apresentar uma série de canções. Beyonce sendo premiada nessa edição do VMA faz sentido, já que durante anos ela foi a figura principal da indústriakitten. Beyoncé tem sido usada para promover todos os aspectos da agenda da elite.

Como esperado, a performance de Beyoncé ficou bastante atrevida e explícita. Aqui está um trecho de sua música "Partition".
Motorista suba a divisória, por favor
Motorista suba a divisória, por favor
Não preciso que você veja "Yonce de joelhos'
Foram necessários 45 minutos para ficar arrumada
Nem vamos conseguir chegar nessa balada
Agora o meu rímel está escorrendo
O batom vermelho borrado
Oh ele está tão excitado, ele quer transar
Ele desabotoou todos os meus botões e rasgou minha blusa
Ele, no estilo da Monica Lewinsky, estava no meu vestido 
Isso foi entrelaçado de uma forma um pouco confusa com o feminismo.

Nada disso faz sentido. Para terminar, isso foi 
seguido por ela cantando "Curvem-se v*dias". 

Enquanto Beyonce estava cantando, a câmara se manteve em Jay-Z e Blue Ivy.

"Olha, mamãe está no pole dance de strippers agora". 


Embora a presença de Blue Ivy tenha sido um pouco reconfortante, há uma questão que é preciso ser feita. Ninguém mais está trazendo seus filhos? Por que ela é tão presente e divulgada? Ela precisa estar nesses holofotes? No contexto desses VMAs - que são quase dramas ritualísticos, sim, ela precisava estar lá. Ela é a herdeira do casal real. Como todos os jovens de todo o mundo, ela testemunhou algumas horas de intensa "sexualização". E depois ela viu a mãe conseguir um troféu por isso. A Agenda é sobre a implementação de valores para a geração mais jovem e Blue Ivy representou isso. E é assim que o VMA terminou.

Selo oficial de peão da indústria. 


Conclusão

O VMA desse ano não conteve o simbolismo oculto habitual que é descrito no site. Na verdade, ele não conteve muita substância. Ele focou exclusivamente em uma parte essencial da agenda: sexualizar os jovens e expô-los a mensagens humilhantes e degradantes. Trata-se de associar arte, música e criação com a exploração da lascívia. Como visto nas letras e imagens acima, as "estrelas" do show não são artistas independentes, elas são marionetes partes do mesmo sistema, todas ligadas pelo "sinal do um olho".

Em um mundo ideal, esse tipo de espetáculo levaria os espectadores a questionar o estado da arte e cultura da sociedade moderna, que está constantemente afundando para novos níveis. Faria telespectadores perguntarem-se por que a "música" tornou-se uma fossa homogênea de mensagens excessivamente estimulantes e entorpecentes. Infelizmente, a maioria dos espectadores tiveram apenas uma reação ao assistir ao VMA 2014: "Olhe para a bunda dela!"

1 comentários :

Blogger Template by Clairvo