quinta-feira, julho 07, 2011

Condicionando Nossos Filhos para a Feitiçaria

A magia da saga de Harry Potter está com seus dias de inocência contados. Há quem acuse a autora de incentivar o satanismo e, pior, de fazer parte de um plano secreto para eliminar os valores cristãos.

TEORIA - Harry Potter é coisa do demônio.
OBJETIVO - Incentivar os adolescentes à prática da bruxaria.

Não se iluda, caro leitor, com as aparências. Aquele singelo bruxinho de óculos, que vem encantando milhões de crianças e adolescentes no mundo inteiro, pode representar um verdadeiro perigo. Algumas correntes religiosas e paranóicos de plantão já soaram o alarme vermelho aos pais: a história de Harry Potter não passa de um plano muito bem bolado que pretende levar nossas crianças à prática da bruxaria e do satanismo. Tem mais. Parece que o sucesso estrondoso da saga faz parte de um plano educacional pilotado pela ONU, a Organização das Nações Unidas, para acabar de vez com os valores morais e éticos da nossa sociedade, estabelecendo a chamada Nova Ordem Mundial, uma espécie de cultura global pagã, comandada, obviamente, pelos Estados Unidos.

Parece loucura? Pode ter certeza que tem muita gente que não acha. Pois bem, vamos por partes. Em primeiro lugar, lembremos um pouco da história do bruxinho mais simpático dos últimos tempos. Harry foi deixado na casa de seus tios, a família Dursley, ainda bebê, na noite terrível do assassinato de seus pais pelo mago Lorde Voldemort, o Senhor das Trevas. Até os 10 anos de idade, o desengonçado menino viveu com os tios e era muito maltratado por eles. No dia do seu aniversário de 11 anos, porém, descobriu que não era um garoto qualquer e, sim, um bruxo. Ingressou, então, na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, onde viveria as mais fantásticas aventuras ao lado de Hermione Granger, dos irmãos Weasley e dos demais alunos.

Segundo os personagens, são chamados de "trouxas" aqueles que não vivem no mundo da bruxaria. Em todos os livros, a autora retrata o mundo da feitiçaria como muito mais divertido, interessante e capaz de propiciar realização que o mundo não-mágico dos "trouxas". Quando uma cena ocorre no mundo monótono dos trouxas, Harry está triste e se deprime pela forma como é tratado. A única alegria na vida de Harry é seu mundo de fantasia em Hogwarts, onde brinca e estuda com seus colegas feiticeiros e magos. "Qual criança normal iria querer continuar a viver em tal existência não-mágica quando pode fugir para o mundo mais interessante da feitiçaria?", pergunta David Bay, diretor da igreja evangélica americana The Cutting Edge, um dos críticos da saga. "As atividades em Hogwarts são apresentadas de uma tal maneira que, mesmo que estejam mostrando maldições ou experiências extra-sensoriais, não têm conseqüências espirituais. Embora a Bíblia condene qualquer pessoa que pratique esse tipo de atividades, Harry Potter e seus amigos sistematicamente aprendem todos os caminhos de um verdadeiro satanista sem sofrer nenhuma conseqüência. É esse tipo de mensagem que você quer que seu filho receba dos livros da série Harry Potter?", completa o pastor.

Para ele, até mesmo a cicatriz em forma de raio na testa de Potter é um sinal perigoso: pode ser uma representação do anticristo, prestes a infiltrar-se entre nós. A igreja faz ainda uma análise detalhada dos filmes e conclui que os detalhes mais sutis, como as cores vibrantes, são de origem do coisa-ruim. "O verde, por exemplo, é a cor favorita de Satanás. E está presente em diversas passagens da história, começando pelos olhos de Potter."

No Brasil, diversas correntes cristãs acompanham essas idéias. "Não podemos chamar o garoto bruxo de bonzinho porque, mesmo que suas atitudes sejam para ajudar uma outra pessoa, ele age de modo contrário à Bíblia", afirma um texto da Igreja Evangélica Presbiteriana da Vila das Mercês, em São Paulo. Em Brasília, durante a estréia de Harry Potter e a Pedra Filosofal, 20 representantes da Comunidade Cristã Vida Abundante encenaram um protesto contra o filme, que, segundo eles, incentiva a magia negra.

A CULPA É DA ONU
A série de livros das aventuras de Harry Potter, que deu origem aos filmes, é um fenômeno que vem atraindo milhões de pessoas no mundo inteiro. Os números são assustadores. O lucro já ultrapassa a casa de 1 bilhão de dólares. São seis livros (de um total de sete previstos), brinquedos, jogos para computador e as adaptações para o cinema. Os livros já foram traduzidos para 47 idiomas, em 200 países, e acumulam vendas superiores a 100 milhões de exemplares.

Supondo que essas acusações dos infernos realmente estejam falando a verdade, a pergunta que cabe é: quem teria tanto interesse em fazer com que todas as crianças cultuem as tais forças das trevas? A autora da série, a inglesa J. K. Rowling, admite que estudou magia negra para tornar seus escritos mais verossímeis, mas, em nenhum momento, confessa que sua intenção é incentivar esse hábito - muito pelo contrário, aliás. Em entrevistas, ela já afirmou, com todas as letras, que não pretende, com o personagem, passar nenhuma lição, seja de moral, seja da vinda do belzebu.

O pastor americano David Bay parece ter descoberto o mistério. Segundo ele, tudo isso faz sentido se pensarmos na idéia de que a "Nova Ordem Mundial" está dominando o planeta. A expressão foi cunhada pelo então presidente americano George Bush, o pai, em 1991, logo depois da queda do Muro de Berlim. Pelo que ele disse na época, a Nova Ordem Mundial seria a "união das nações para alcançar as universais aspirações humanas de paz, segurança e liberdade". Pois é, mas muitos cristãos extremistas entenderam essa tal nova ordem como o início de uma era pagã, com o triunfo de Satanás, sob o comando de um anticristo. E é aqui que entra Potter, o nosso bruxinho inglês.

"Você já observou quantas escolas organizaram excursões de alunos para assistirem aos filmes de Harry Potter? A razão para esse entusiasmo dos pedagogos é que os filmes oferecem exatamente o tipo de 'realidade planejada' que a ONU está buscando", afirma Bay. "Essa 'realidade planejada' é desprovida dos valores cristãos tradicionais, mas rica em crenças e estilos de vida pagãos e, principalmente, em uma certa 'cosmovisão' mental - a Nova Ordem Mundial". É como diz o lema em latim de Hogwarts: "Draco dormiens nunquam titillandus". Traduzindo: nunca cutuque um dragão adormecido.

2 comentários :

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. cristãos veem diabo em tudo. Porque não olham pra suas próprias vidas inuteis e para suas igrejinhas farsantes?

    ResponderExcluir

Blogger Template by Clairvo