segunda-feira, agosto 26, 2013

SÃO LÚCIFER - O Santo que a Igreja Católica não divulga

Sim, existe um santo conhecido como são lúcifer ou lúcifer calaritano, você não sabia né? Muitos não sabem! A igreja não toca muito no assunto, pois fazendo isso, teria que admitir que o nome lúcifer colocado na bíblia tem outro sentido e é totalmente deturpado.

O seu real significado não tem nada a ver com aquilo que a maioria das pessoas "informadas" pensam... Tanto é que existe até um santo canonizado com o nome de... Lúcifer!

Mas se a igreja admitisse isso oficialmente e divulgasse, é fato que a fé de muitas pessoas seria abalada!

Lúcifer ou Lúcifer Calaritano (em italiano San Lucifero) (m. 370 ou 371) foi um bispo de Cagliari na Sardenha e é um santo cristão conhecido, sobretudo, pelo sua oposição ao arianismo. No Concílio de Milão em 354 defendeu Atanásio de Alexandria e se opôs a arianos poderosos, o que fez o imperador Cosntantino II, simpatizante dos arianos, confiná-lo por três dias no palácio. Durante seu confinamento, Lúcifer debateu tão veementemente com o imperador que ele acabou por ser banido, primeiro para a Palestina e depois, para Tebas, no Egito. No exílio escreveu duras cartas ao imperador, que o pôs sob o risco de martírio.

Após a morte de Constantino e a ascensão de Juliano, Lúcifer foi solto em 362. Entretanto não pode se reconciliar com os antigos arianos. Ele consagrou o bispo Paulino, sem licença, criando assim um cisma. Possivelmente foi excomungado. Nos dá uma pista disso os escritos de Santo Ambrósio, Santo Agostinho e São Jerônimo, que referem-se a seus seguidores como luciferianos, uma divisão que surgiu no início do século V. Jerônimo em seu ALTERCATIO LUCIFERIANI ET ORTHODOXI (Altercação entre Luciferianos e Ortodoxos) demonstra quase tudo que se sabe sobre Lúcifer e suas idéias. Inclui-se entre os principais escritos do bispo de Cagliari: DE NON CONVENIENDO CUM HAERETICIS, DE REGIBUS APOSTATICIS, e DE S. ATANASIO.

Sua festa, no calendário da Igreja Católica é dia 20 de maio. Seu nome demonstra que Lúcifer não era, pelo menos no século IV, apenas um sinônimo para Satã. Todavia, com os movimentos a partir do século XIX houve certa confusão, dando a entender que luciferianos (diferentemente do sentindo teológico que é apresentado aqui) fossem satanistas. É de se observar que isso não faz com que seu culto seja suprimido ou sua canonização reavaliada. Muito embora ele não seja muito citado para evitar mal-entendidos e escândalos.

Uma capela na Catedral de Caligliari é dedicada a São Lúcifer (talvez a única no mundo). Maria Josefina Luísa de Savóia, rainha consorte, esposa de Luís XVIII de França está enterrada lá.


Igreja de São Lúcifer, em Cagliari (SARDENHA)
São Lúcifer, no Concílio de Milão (354), defendeu violentamente Santo Atanásio de Alexandria e suas ideias, ao ponto de ser também exilado pelo imperador Constâncio II, que havia aderido à doutrina ariana. Juntamente com o bispo, outro santo foi exilado, Eusébio de Vercelli, defensor da plena divindade de Cristo. Escreveu obras contrárias às heresias, sempre criticando duramente o arianismo, de modo que, seus seguidores eram chamados luciferianos, que posteriormente foram liderados por São Gregório de Elvira. A seu respeito, escreveu São Jerônimo na Altercatio Luciferiani Et Orthodoxi.

41 comentários :

  1. E dizer o o Lúcifer fazia parte da tropa de choque de Bispo Irineu.
    A proposito primeiro inventaram nos cargos e depois a Igreja católica.
    Porque? Ou Bispo Irineu era bispo de outra ceita chamada Mitraísmo.
    Porque? Porque, o imperador Constantino cultuava o Deus Mitra.
    Tem até uma caverna templo embaixo do Vaticano do Deus Mitra.
    E este Deus Mitra nasceu dia 25 de Dezembro, que coincidência vocês não acham?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deus Mitra, assim como o Cristo é o próprio sol, mas não o sol físico e sim o grande sol espiritual, 25 de dezembro é o solstício de inverno no hemisfério norte, época em que o sol físico fica mais fraco, mas o sol espiritual fica mais forte, época em que o espírito de Cristo adentra ao mundo... O Cristo cósmico já se manifestou em diferentes culturas que cultuam o sol.

      Excluir
  2. Na Babilônia, Mitra foi identificado com Shamash, o deus do sol, e ele também é Bel, na mesopotâmica e cananéia como divindade solar fenícia. Mitra também é Apollo.

    O deus Mithra (ou Mitra) tem uma história “original”. Mitra foi clamado por seus seguidores como O “Filho de Deus”. Mitra é freqüentemente representado carregando um cordeiro em seus ombros. A sua querida mãe também era virgem, assim como a mãezinha de Horus, Bhuda e outros. Um comportamento muito comum no passado da humanidade. Mães solteiras do signo de virgem, como hoje...


    Mitra na pedra - Basílica São Clemente - Vaticano
    Mitra surgiu de Petra (Pedro) a rocha sagrada do mitraísmo. Ele se dizia "poderoso em força, poderoso governante, o maior rei dos deuses, Senhor do céu e da terra, Deus dos Deuses!" Mitra também foi considerado "o mediador" entre o céu e a terra.

    Mitra nasceu em 25 de dezembro da jovem Nahid Anahita ('imaculada') a virgem.
    O bebê estava enrolado em panos, colocado em uma manjedoura com a participação de pastores.
    Mitra foi considerado um grande mestre viajante e que realizava milagres.
    MItra tinha 12 companheiros ou "discípulos" e era Identificado tanto com o leão e o cordeiro.
    Mitra sacrificou-se para a paz mundial e ascendeu ao céu.
    Mitra era visto como o Bom Pastor, o "Caminho, a Verdade e a Luz", o Redentor, o Salvador, o Messias.
    Seu dia sagrado era domingo, "dia do Senhor"

    A caverna mostrada em Belém como o local de nascimento de Jesus era na verdade um templo de pedra em que o deus Tammuz ou Adonis (Thoth) era adorado. O fato do culto de um deus em uma caverna era comum no paganismo: Apollo, Cybele, Deméter, Herakles, Hermes, Mitra e Poseidon foram todos adorados em cavernas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sugiro que antes de sair espalhando noticias falsas pela internet, vc estude antes, não existe nem uma evidência comprovada historicamente por nem um pesquisador sério que Mitra seja quem vc disse que é.

      Excluir
  3. A prova disto, é so viajar para Roma.

    ResponderExcluir
  4. Um link; http://bloglaurabotelho.blogspot.com.br/2014/05/homo-capensis-os-deuses-do-sempre.html

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Me perdoem Os católicos e crentes ou evangélicos,mas façam um pesquisa, e procurem qual era o simbolo antes da Cruz da Igreja Católica? Era um menino Jesus carregando um cordeiro nas costa. Somente em 1300 e pouco, foi introduzido o simbolo da Cruz.
    (O “Filho de Deus”. Mitra é freqüentemente representado carregando um cordeiro em seus ombros). Ou seja eles compilaram as palavra do Senhor e colocaram o deus delles. E toda pessoa ou Igreja que estiver convocando-o esta convocando um Mitra travestido de de Jesus. Alguém que estiver lendo que eu estou escrevendo agora,nunca sentiu um calafrio quando entrou em uma Igreja Evangélica? Porque será que quando nos somos batizados o sacerdote molha o dedo em um óleo Urgido e coloca bem no meio da testa?
    Pense nisto. Antes que alguém me joguem pedra, leiam que eu escrevi "elles copilaram as palavras do Senhor Deus"
    E com todos estes acontecimentos de agora somente posso dizer que as Igrejas estão em pedaços. Mais outro acontecimento ele não mais vai resistir. E estas pessoas que se atiraram de cabeça nesta podridão, o que vai acontecer com elas? Estou bastante preocupado com elas. Porque elles tem uma "agenda" (chamada bíblia sagrada), e pode ter certeza de uma coisa que nos não fazemos parte della.

    ResponderExcluir

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quero dizer que a fé vem pelo ouvir da palavra de Deus. A sabedoria humana é tolice para Deus. O que conhecemos é o que em parte profetizamos. porém haverá um dia que conheceremos a verdade como se nos vessemos em um espelho e que o pensamento humano é como a cegueira de um sego e a surdez de um surdo e mesmo que grite já mais será ouvida...

      Excluir
    2. hei nao podes enganar mas esse povo a humanidade nao quer ser mas escrava das ingrejas que so ganha dinheiro diabo nai existe deus tambem nao entao vai procura outro trabalho vai

      Excluir
  7. To sabendo agora que existi um santo chamado de lucifer, sou catolico isso de maneira alguma abala a minha so por causa de um nome.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quantos Pedros, Joões, Mários e tantos outros estão condenados ao inferno e, nem por isso, o nome apodreceu? O anjo decaído foi condenado não por causa do nome dele e sim pelas suas ações! No Céu, ele já se chamava Lúcifer e, nem por isso, existia algum mal em se chamar Lúcifer. O nome deve acompanhar o ser e não o contrário! Evocar o anjo mal cujo nome é Lúcifer é uma coisa, honrar uma pessoa santa de mesmo nome é o oposto! Lúcifer, inclusive, quer dizer "o que traz a luz". No céu, o anjo tinha esse nome não porque iria ser rebelde, mas porque era o portador de luz e sua beleza ERA incomparável. Talvez por isso sua vaidade tenha ido tão longe! Deus não iria contra ele e colocado o nome Lúcifer no anjo portador de luz, o que mostra que o nome é bom. O que não foi bom foi o anjo de mesmo nome e este sim é o alvo da condenação!
      Agora, claro, por conta do tinhoso, o nome ficou marcado! Mas isso nunca foi e nem nunca será motivo de descrédito da verdadeira Fé. Pelo contrário, mostra que a Santa Igreja não é supersticiosa, a ponto de condenar até mesmo o próprio Deus que pôs o nome Lúcifer em um anjo (como muitos o fazem) e que, mesmo após condená-lo, manteve tal nome no demônio... pois é, se o nome se estragasse por causa de alguém, por que Deus deixaria o nome "portador de luz" em um demônio?
      Parabéns, Tecmed, por não se deixar convencer por uns abibolados que, com asneiras, tentam destruir a Fé no Deus verdadeiro, a Fé Católica!

      Excluir
    2. Procura o nome Lúcifer nos originais hebraicos... Se encontrar me mostre. Este nome foi um erro de tradução. Chamar satan de Lúcifer é absurdo. Pois Lúcifer vem do latim "lux ferre " portador da luz. E Jesus disse: "Eu sou a luz do mundo ". Porventura satan que em hebraico significa adversario ou inimigo seria portador da luz sendo o seu reino nas trevas?
      Estude irmão, pesquise mais e raciocine um pouco, antes de querer ficar revoltado com o que as pessoas postam.

      Excluir
  8. To sabendo agora que existi um santo chamado de lucifer, sou catolico isso de maneira alguma abala a minha so por causa de um nome.

    ResponderExcluir
  9. sou pastor evangélico e acredito e aconselho a todos só acreditarem em um só DEUS todo poderoso criador dos céus e da terra dou glorias a ele DEUS PAI DEUS FILHO DEUS ESPIRITO SANTO por ordem desse DEUS soberano não devemos faser ou adorar a nemhuma imagem feita por mão humanas DEUS proibi a adoração a homens a anjos animais ou qualquer objeto da natureza ou astros lua sol mar DEUS é o todo poderoso que devemos nos prostar somente diante dele e lhe pedir proteção exodo cap 20 meditem lá e um forte abraço REVERENDO GILBERTO AMARAL PAZ a todos no nome do senhor jesus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É por tamanha ignorância que você é pastor protestante...

      Excluir
    2. e um bom meio de ganhar o pao ne mentindo com eva e adao ne pois eles nunca existiram mas te ajuda e o povo acredita e que aprender em alguma forca que eles tem desde o nascimemto mas so sao burros para saber como utilizar esse amor dentro de si e corren para i pastor e o senhor mente para eles eles com a maior cara de pau e o puor de tudo para o senhor mesmo eu heim

      Excluir
    3. 1) Éxodo 25, 16-22
      “Porás na arca o testemunho que eu te der. Farás também uma tampa de ouro puro, cujo comprimento será de dois côvados e meio, e a largura de um côvado e meio. Farás dois querubins de ouro; e os farás de ouro batido, nas duas extremidades da tampa, um de um lado e outro de outro, fixando-os de modo a formar uma só peça com as extremidades da tampa. Terão esses querubins suas asas estendidas para o alto, e protegerão com elas a tampa, sobre a qual terão a face inclinada. Colocarás a tampa sobre a arca e porás dentro da arca o testemunho que eu te der. Ali virei ter contigo, e é de cima da tampa, do meio dos querubins que estão sobre a arca da aliança, que te darei todas as minhas ordens para os israelitas.”
      2) Números 21, 8-9
      “E o Senhor disse a Moisés: ‘Faze para ti uma serpente ardente e mete-a sobre um poste. Todo o que for mordido, olhando para ela, será salvo.” Moisés fez, pois, uma serpente de bronze, e fixou-a sobre um poste. Se alguém era mordido por uma serpente e olhava para a serpente de bronze, conservava a vida.

      3) I Reis 6, 23-27
      “Fez no santuário dois querubins de pau de oliveira, que tinham dez côvados de altura. Cada uma das asas dos querubins tinha cinco côvados, o que fazia dez côvados da extremidade de uma asa à extremidade da outra. O segundo querubim tinha também dez côvados; os dois tinham a mesma forma e as mesmas dimensões. Um e outro tinham dez côvados de altura. Salomão pô-los no fundo do templo, no santuário. Tinham as asas estendidas, de sorte que uma asa do primeiro tocava uma das paredes e uma asa do segundo tocava a outra parede, enquanto as outras duas asas se encontravam no meio do santuário.”

      4) I Reis 7, 28-30
      “Eis como eram feitas essas bases: eram formadas de painéis e enquadradas de molduras. Nos painéis enquadrados de molduras, havia leões, bois e querubins, assim como nas travessas igualmente. Por cima e por baixo dos leões e dos bois pendiam grinaldas em forma de festões. Cada base tinha quatro rodas de bronze, com seus eixos de bronze, e nos quatro cantos havia suportes fundidos que sustinham a bacia, os quais estavam por baixo das grinaldas.”

      Então… e a famosa passagem de Êxodo 20, 4-5?
      Dizem que aquilo que é dito fora de contexto vira contexto. Então, vamos analisar o contexto dessa passagem. Em primeiro lugar notemos que esta suposta proibição está no capítulo 20 de Êxodo; no entanto, 5 capítulos depois vemos Deus mandando construir querubins de ouro. Se deram conta? O mesmo Deus que a princípio supostamente proibiu construir imagens do que há “acima no céu”, agora manda fazer estátuas de querubins, criaturas do céu. Isso se deve porque quando Deus proíbe as imagens, o faz com um fim: Ele conhecia o povo ao qual se dirigia e sabia que poderiam construir uma imagem e dizer “esta imagem é o meu deus”. De fato, isso ocorreu com Israel; construíram um bezerro de ouro para adorá-lo e disseram ‘Este é o Deus de Israel, aquele que nos fez sair do Egito.” (êxodo 35,4).
      ta bom para vc!!!

      A diferença é que as imagens que Deus mandou construir, assim como as imagens que os católicos usamos nas nossas Igrejas, servem como um sinal que nos apontam a Deus, nunca são consideradas deuses. Até a imagem mais linda de nosso Senhor sempre será apenas uma representação e nunca o próprio Deus

      Excluir
  10. Quantos Pedros, Joões, Mários e tantos outros estão condenados ao inferno e, nem por isso, o nome apodreceu? O anjo decaído foi condenado não por causa do nome dele e sim pelas suas ações! No Céu, ele já se chamava Lúcifer e, nem por isso, existia algum mal em se chamar Lúcifer. O nome deve acompanhar o ser e não o contrário! Evocar o anjo mal cujo nome é Lúcifer é uma coisa, honrar uma pessoa santa de mesmo nome é o oposto! Lúcifer, inclusive, quer dizer "o que traz a luz". No céu, o anjo tinha esse nome não porque iria ser rebelde, mas porque era o portador de luz e sua beleza ERA incomparável. Talvez por isso sua vaidade tenha ido tão longe! Deus não iria contra ele e colocado o nome Lúcifer no anjo portador de luz, o que mostra que o nome é bom. O que não foi bom foi o anjo de mesmo nome e este sim é o alvo da condenação!
    Agora, claro, por conta do tinhoso, o nome ficou marcado! Mas isso nunca foi e nem nunca será motivo de descrédito da verdadeira Fé. Pelo contrário, mostra que a Santa Igreja não é supersticiosa, a ponto de condenar até mesmo o próprio Deus que pôs o nome Lúcifer em um anjo (como muitos o fazem) e que, mesmo após condená-lo, manteve tal nome no demônio... pois é, se o nome se estragasse por causa de alguém, por que Deus deixaria o nome "portador de luz" em um demônio?

    ResponderExcluir
  11. Salve Lúcifer, portador da luz! Que Ele ilumine a alma dos humanos para que possamos ver a chegada da Luz do mundo em seu esplendor. Que Lúcifer venha a reinar eternamente entre nós e faça valer a Vontade de Deus!

    Lúcifer é um título, minha gente. E este título pertence a Jesus.

    ResponderExcluir
  12. Respostas
    1. BEM COMO NINGUÉM RESPONDEU ESTOU TENTANDO RESPONDE.
      VEJA VOCÊ TEM UMA LISTA DE NOMES DE DEUSES DA ÉPOCA EM QUE FOI ESCRITO A "SEPTUAGINTA". E NESTA ÉPOCA SOMENTE O “BISPO ARIOS” TINHA VÁRIOS PERGAMINHOS QUE PROVAVA QUE JESUS ERA UM "HIBRIDO" E NÃO SE SABE DIZER O QUE SIGNIFICAVA ISTO (A PALAVRA HIBRIDO) COMO MATARAM ARIOS A MANDO DE CONSTANTINO PERDEU-SE NA HISTORIA. E ESTES DOCUMENTOS SUMIRAM. Talvez seja por isto que o PAPA Francisco esteja anunciando a volta de Jesus em um disco voador. E note: que a letra "J" não existia como letra "J". E em toda a SEPTUAGINTA EM QUE APARACIA A LETRA "J" SIGNIFICAVA "ENGANO"

      RELIGIÃO / PAI ////////////// FILHO /////////////// ESPIRITO SANTO
      EGIPICIA / OSIRIS ////////// HORUS /////////////// ISIS, Reparem o que os judeus dizem. Isis
      SUMÉRIA / Ei/ NEROTE/////////// TALMUZ //////// SEMIRADES
      HANDUISTRA / BRAHMA///////// VISHNU ////////// SHIVA
      ZOROASTRA / ATHURA-MAZDA ////// MITHRA /////////// VOHU-MANO
      GREGA / ZEUS //////////// ATHENA //////////// HERA
      ROMANA /JUPTER ////// MINERVA ///////// JUNO
      NORDICA / ODIN ///////// THOR ///////// FRIGGA
      TUPI-GUARANI / GUARACI //////// RUDA ////////// JACI
      ASTECA / OMETEOTI //////////// QUETZALCOATI //////// EHECATI
      MAIA / HUNAB-KU ///////////// KUKULKAN ///////////// CHAMANI


      Excluir
  13. ALGUEM ME MANDOU UMA RESPOSTA E EU NÃO PUDE EM ME CONTER E ANTES DE ME XINGAR VÃO ESTUDAR A BIBLIA. EU NÃO SOU O DONO DESTE POST
    Que besteira cara vai estudar a bíblia. e não ler a bíblia e ficar falando que nem um papagaio.
    Geronimo ou São Geronimo, ficou 20 anos na tal terra santa (que de santa não te nada) anos e anos compilando os restos dos pergaminhos que ele ia encontrando pelo caminho. um trabalho que segundo ele ia levar dois anos a mando do "bispo Irineu" e levou 26 anos exatos.. Este bispo era bispo de uma igreja que cultuava o deus mitra. Geronimo contratou todos que sabiam falar aramaico e hebraico e encontrou 68 velhos que deu origem a primeira biblia velho testamento e tambem chamada o livro dos sessenta ' Septuaginta" em latim. e levou para os homens santos como o bispo Irineu, imperador Constantino. a santa ana que é a mãe do Constantino a esposa do Constantino. de umas olhada neste santos que compilaram o "novo testamento" a mãe do Constantino acusou o neto do por ter deitado na cama dela. E o Constantino que não era ainda imperador mandou matar o filho e este filho estava comprometido em casar com a filha do seu antecessor. E com o filho morto abriu uma brecha para ele o Constantino se tornar o Imperador. e na Septuaginta falava em remcarnação e varias coisas depois de tanta mentira todos os crentes e evangélicos os chamam de SANTOS ou HOMENS SANTOS que piada. Cara continua sendo um papagaio porque se tu se tonar uma águia vai competir ''comigo''. Mas o dia que todos estudarem a fundo a biblia verão que foram enganados. EIS QUE EU MOSTRAREI A VERDADE E COMO NÃO ACREDITARAM NA VERDADE. EU (isto é DEUS que esta falando) ENVIAREI UMA "POTENCIA DE ERRO PARA QUE MORRAM NA MENTIRA. É ASSIM QUE ESTA ESCRITO NA SEPTUAGINTA.
    Por isso lhes envia Deus a operação do erro, para que dêem crédito à mentira,
    a fim de que sejam julgados todos os que não deram crédito à verdade, antes tiveram prazer na injustiça.
    2 Tessalonicenses 2:11,12

    ResponderExcluir
  14. E ANTES QUE ALGUÉM ME ATIRE ALGUMA PEDRA, ME RESPONDA UMA PERGUNTA PORQUE CONSTANTINO MANDOU CONSTRUIR IGREJAS SOMENTE EM CIMA DE CAVERNAS NA TERRA SANTA.

    ResponderExcluir
  15. a igreja não divulga muito nenhum santo famoso por combater heresias, eles não são os favoritos, é por isto que o primeiro papa jesuíta da história, o Bergoglio, escolheu como nome papal Francisco, e não Inácio.

    ResponderExcluir
  16. não é obrigado a ser devoto dele mas o respeito é importante

    ResponderExcluir
  17. https://www.youtube.com/watch?v=hGg_Vzv9h-0&t=4s

    ResponderExcluir
  18. Eu jamais colocaria um nome deste em meu filho. Outra coisa interessante, e que os religiosos não toma ciência, é que santo é ser separado(Grego e no Hebraico, salvigano) Há uma passagem na Bíblia, que o anjo não permitiu que o adorasse, e por que adorar tanto homens da igreja católica, que cometeram tanto erro? Acho uma ignorância tamanha dos religiosos!

    ResponderExcluir
  19. Eu particularmente só creio em Jesus, Deus, e espírito santo. Como também nos profetas e apóstolos. Os demais, pra não passam de simples criaturas, que precisam da misericórdia de Deus!

    ResponderExcluir
  20. Mas que idiotice! como assim a Igreja não divulga? a Igreja Católica tem centenas de milhares de santos, imagine a Igreja veicular no horário nobre a propaganda de cada santo por ela consagrada. Este santo existe de fato, tem na Itália uma Igreja dedicada a ele. Contudo como está evidente no texto, até hoje a canonização deste santo enfrenta polemica e discórdias, como muitos outros. Mais ainda, como os amantes da Igreja não admite cultuar santos polêmicos, este e muitos outros ficam na penumbra ou na irrelevância.

    ResponderExcluir
  21. Primeiro a comparação com Hórus (egípcio).
    • Hórus nasceu no dia 25 de Dezembro de uma virgem, Ísis Maria
    • Uma estrela no Oriente proclamou a sua chegada
    • Três reis foram adorar o "salvador" recém-nascido
    • Aos 12 anos de idade, quando ainda era um menino, ele tornou-se um prodigioso professor
    • Aos 30 anos ele foi "batizado" e começou um "ministério"
    • Hórus tinha 12 "discípulos"
    • Hórus foi traído
    • Hórus foi crucificado
    • Hórus foi sepultado por três dias
    • Hórus ressuscitou depois de três dias
    No entanto, quando os escritos actuais sobre Hórus são competentemente analisados, o que podemos encontrar é o seguinte:

    • Hórus nasceu de Ísis; não há qualquer menção na história de a sua mãe ter também o nome "Maria". Aliás, Maria é a forma latinizada de "Miryam" ou Miriam, o verdadeiro nome de Nossa Senhora. O nome "Maria" não foi nem usado nos textos originais das Escrituras.
    • Ísis não era virgem; ela era a viúva de Osíris, com quem concebeu Hórus.
    • Hórus nasceu durante o mês de Khoiak (Outubro/Novembro) e não no dia 25 de Dezembro. Além disso, a Bíblia não menciona sequer a data do nascimento de Cristo.
    • Não há qualquer registo de três reis visitando Hórus no seu nascimento. A Bíblia não informa o número de magos que foram ver Cristo.
    • Hórus não é um "salvador" de qualquer forma e nunca morreu por ninguém.
    • Não há relatos de Hórus como um professor aos 12 anos de idade.
    • Hórus não foi "baptizado". O único relato de Hórus que envolve a água é uma história onde ele é despedaçado e Ísis pede ao deus crocodilo que o pesque da água para onde ele tinha sido atirado.
    • Hórus não tinha um "ministério".
    • Hórus não tinha 12 discípulos. De acordo com as narrativas, Hórus tinha quatro semi-deuses que eram seguidores e algumas indicações de 16 seguidores humanos e um número desconhecido de ferreiros que entraram na batalha com ele.
    • Não existe nenhuma narrativa de Hórus que diga que ele foi traído por um amigo.
    • Hórus não morreu crucificado. Na verdade, há vários relatos da morte de Hórus, mas nenhum deles envolve a crucificação.
    • Não existe nenhum relato de Hórus em que ele é sepultado por três dias.
    • Hórus não foi ressuscitado. Não existe nenhuma narrativa de Hórus saindo do túmulo com o mesmo corpo que tinha quando para lá entrou. Alguns relatos mostram-nos que Hórus/Osíris foram trazidos de volta à vida por Ísis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agora vamos também a comparação com o deus Mitra
      • Mitra originariamente era uma deusa e não um deus.
      • Mitra nasceu de uma rocha sólida. O seu pai, Ahura-Mazda é que nasceu duma virgem, Anahira.
      • Mitra lutou primeiro com o sol e em seguida com um touro primitivo, o que é considerado o primeiro acto da criação. Mitra matou o touro, o qual se tornou a base da vida para a raça humana.
      • O nascimento de Mitra foi celebrado no dia 25 de Dezembro, juntamente com o solstício de Inverno.
      • Não há menção dele como um grande professor.
      • Não há menção de Mitra com 12 discípulos. A ideia de que Mitra teve 12 discípulos pode ter vindo de um mural em que Mitra é cercado pelos 12 signos do Zodíaco.
      • Mitra não teve uma ressurreição corporal. Diz o mito que Mitra concluiu a sua missão terrena e em seguida foi levado para o Paraíso numa carruagem, vivo e bem.
      O escritor cristão primitivo Tertuliano escreveu sobre os seguidores de Mitra reencenando as cenas da ressurreição, mas ele escreveu sobre isso muito depois dos tempos do Novo Testamento, ou seja, se qualquer plágio foi feito, o culto de Mitra é que é uma cópia do Cristianismo.

      Excluir
    2. Jesus histórico, como retratado na Bíblia, é completamente original. As semelhanças reivindicadas são muito exageradas. Além disso, embora a crença em Hórus, Mitra e outros preceda o Cristianismo, há muito pouco registo histórico das crenças pré-cristãs dessas religiões. A grande maioria dos primeiros escritos sobre essas religiões são datadas dos séculos III e IV DC. É ilógico e anti-histórico reivindicar que as crenças pré-cristãs nessas religiões (das quais não há registos) foram idênticas às crenças pós-cristãs nestes grupos (das quais há registos). É mais historicamente válido atribuir eventuais semelhanças entre as religiões e o Cristianismo às religiões copiando as crenças cristãs sobre Jesus e dando esses atributos aos seus próprios deuses/salvadores/fundadores numa tentativa de parar o rápido crescimento do Cristianismo.
      O Cristianismo pediu mesmo emprestado coisas das misteriosas religiões pagãs?
      Duas falácias em particular são evidentes: a falácia da falsa causa e a falácia terminológica. Se uma coisa precede a outra, isso não significa que a primeira causou a segunda. Esta é a falácia da falsa causa. Por muito que as narrativas pré-cristãs dos deuses mitológicos se assemelhem a Jesus (e não se assemelham, como já vimos anteriormente), isso não significa que elas fizeram com que os escritores do Evangelho inventassem um falso Jesus.
      A falácia terminológica ocorre quando os termos são redefinidos para provar um ponto quando na verdade esses termos não significam a mesma coisa quando são comparados à sua fonte. Assim, por exemplo, o filme Zeitgeist diz que Hórus "iniciou o seu ministério", mas Hórus não tinha um ministério, muito menos algo parecido com o ministério de Jesus. Os que afirmam que Jesus e Mitra são o mesmo falam sobre o "baptismo" que iniciava os possíveis aderentes ao culto de Mitra, mas o que realmente acontecia? Os sacerdotes Mitra (usando um ritual também realizado pelos seguidores de Átis) suspendiam um touro sobre um buraco, colocavam aqueles que queriam pertencer ao culto naquele buraco e então cortavam o estômago do boi, cobrindo os iniciantes com sangue - há aí alguma semelhança com o Baptismo cristão?
      A última questão a ser examinada acerca deste assunto é a veracidade do próprio Novo Testamento. Embora muito se tenha sido escrito sobre este tema, nenhum trabalho da antiguidade tem mais evidências no que diz respeito à veracidade histórica do que o Novo Testamento. O Novo Testamento tem mais escritores (nove), melhores escritores e escritores que viveram mais perto do que estava a ser registado do que qualquer outro documento da época. Além disso, a história comprova o facto de que esses escritores enfrentaram a morte para afirmar que Jesus tinha ressuscitado dos mortos. Embora alguns escolham morrer por uma mentira que acham ser verdade, ninguém morre por uma mentira que sabe ser falsa. Se alguém estivesse prestes a ser crucificado de cabeça para baixo, como aconteceu com São Pedro, e tudo o que fosse necessário fazer para salvar a vida fosse renunciar a uma mentira, São Pedro não tê-lo-ia feito em vez de ter aceite o martírio? Obviamente porque ele sabia que acreditava na Verdade, o que o levou à morte - e a de todos os mártires cristãos.

      Excluir
    3. Além disso, a história tem mostrado que são necessárias pelo menos duas gerações antes de um mito poder fazer parte de um relato histórico. Porquê? Porque as testemunhas oculares podem refutar o erro registado. Os que viviam naquela época poderiam ter refutado os erros do autor e expor o trabalho como sendo falso. Todos os Evangelhos do Novo Testamento foram escritos durante a vida das testemunhas oculares, com algumas das epístolas de São Paulo a ser escritas tão cedo quanto 50 DC. Essas datas servem como um mecanismo essencial de protecção contra eventuais falsidades.
      O Novo Testamento confirma o facto de que a representação de Jesus não foi confundida com a de qualquer outro deus. Quando confrontados com o ensinamento de São Paulo, os pensadores da elite de Atenas disseram isto: "’O que está tentando dizer esse tagarela?’ Outros diziam: ‘Parece que ele está anunciando deuses estrangeiros’, pois São Paulo estava a pregar a Boa Nova a respeito de Jesus e da ressurreição. Então levaram-no a uma reunião do Areópago, onde lhe perguntaram: ‘Podemos saber que novo ensino é esse que tu estás anunciando? Tu estás-nos apresentando algumas ideias estranhas e queremos saber o que elas significam’” (Actos 17:18-20). É evidente que se as narrativas sobre Jesus fossem simplesmente um arranjo de contos de outros deuses, os atenienses não ter-se-iam referido a elas como sendo "novas". Se deuses morrendo e ressuscitando fossem abundantes no primeiro século, por que é que quando São Paulo pregou sobre Jesus ressuscitando dos mortos em Actos 17 os epicuristas e os estóicos não fizeram alusões a Hórus e Mitra?
      Podemos assim concluir que as alegações de que Jesus não era nada mais do que uma cópia dos deuses mitológicos são da autoria de pessoas (gnósticas ou simplesmente anticristãs) cujas obras já foram descartadas pelo mundo acadêmico. As suas falácias não podem ser comparadas com os Evangelhos do Novo Testamento, que já se submeteram a quase 2000 anos de intenso escrutínio. Os supostos paralelos desaparecem quando comparados com os textos originais históricos. As semelhanças entre Jesus e os vários deuses mitológicos só podem ser defendidas ao empregar-se descrições enganosas e seletivas.

      Excluir
    4. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  22. E terá Jesus existido mesmo ou é Ele um mito?
    Além dos Evangelhos e das Cartas dos Apóstolos, a mesma História que garante a existência dos faraós do Egipto, milhares de anos antes de Cristo, garante a existência de Jesus. Muitos documentos antigos, cuja autenticidade já fora confirmados pelos historiadores, falam de Jesus.
    Documentos de escritores romanos (110-120):
    1. Tácito (Publius Cornelius Tacitus, 55-120), historiador romano, escritor, orador, cônsul romano (ano 97) e procônsul da Ásia Romana (110-113), falando do incêndio de Roma que aconteceu no ano 64, apresenta uma notícia exacta sobre Jesus, embora curta: “Um boato acabrunhador atribuía a Nero a ordem de pôr fogo na cidade. Então, para cortar o mal pela raiz, Nero imaginou culpados e entregou às torturas mais horríveis esses homens detestados pelas suas façanhas, que o povo apelidava de cristãos. Este nome vem-lhes de Cristo, que, sob o reinado de Tibério, foi condenado ao suplício pelo procurador Pôncio Pilatos. Esta seita perniciosa, reprimida a princípio, expandiu-se de novo, não somente na Judeia, onde tinha a sua origem, mas na própria cidade de Roma” (Anais, XV, 44).
    2. Plínio o Jovem (Caius Plinius Cecilius Secundus, 61-114), sobrinho de Plínio, o Velho, foi governador romano da Bitínia (Asia Menor), escreveu ao imperador romano Trajano, em 112: “…os cristãos estavam habituados a se reunir em dia determinado, antes do nascer do sol, e cantar um cântico a Cristo, que eles tinham como Deus”. (Epístolas, I.X 96)
    3. Suetónio (Caius Suetonius Tranquillus, 69-126), historiador romano, no ano 120, referindo-se ao reinado do imperador romano Cláudio (41-54), afirma que este “expulsou de Roma os judeus, que, sob o impulso de Chrestós (forma grega equivalente a Christós, Cristo), se haviam tornado causa frequente de tumultos” (Vita Claudii, XXV). Esta informação coincide com o relato dos Atos dos Apóstolos 18,2 onde se lê: “Cláudio decretou que todos os judeus saíssem de Roma”; esta expulsão ocorreu por volta do ano 49/50. Suetónio, mal informado, julgava que Cristo estivesse em Roma, provocando as desordens.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Documentos judaicos:
      1. O Talmude (colectânea de leis e comentários históricos dos rabinos judeus posteriores a Jesus) apresentam passagens referentes a Jesus. Os judeus combatiam a crença em Jesus, daí as palavras adversas a Cristo. Tratado Sanhedrin 43 do Talmude da Babilônia diz: “Na véspera da Páscoa suspenderam a uma haste Jesus de Nazaré. Durante quarenta dias um arauto, à frente dele, clamava: 'Merece ser lapidado, porque exerceu a magia, seduziu Israel e o levou à rebelião. Quem tiver algo para o justificar venha proferí-lo!' Nada, porém, se encontrou que o justificasse; então suspenderam-no à haste na véspera da Páscoa.”
      2. Flávio Josefo, historiador judeu (37-100), fariseu, escreveu palavras impressionantes sobre Jesus: “Por essa época apareceu Jesus, homem sábio, se é que há lugar para o chamarmos homem. Porque Ele realizou coisas maravilhosas, foi o mestre daqueles que recebem com júbilo a verdade, e arrastou muitos judeus e gregos. Ele era o Cristo. Por denúncia dos príncipes da nossa nação, Pilatos condenou-o ao suplício da Cruz, mas os seus fiéis não renunciaram ao amor por Ele, porque ao terceiro dia Ele lhes apareceu ressuscitado, como o anunciaram os divinos profetas juntamente com mil outros prodígios a Seu respeito. Ainda hoje subsiste o grupo que, por Sua causa, recebeu o nome de cristãos” (Antiguidades Judaicas, XVIII, 63a).
      Documentos cristãos:
      Os Evangelhos: narram com riqueza de detalhes históricos, geográficos, políticos e religiosos a terra da Palestina no tempo de Jesus. Os evangelistas não poderiam ter inventado tudo isto com tanta precisão.
      São Lucas, que não era apóstolo e nem judeu, fala dos imperadores César Augusto e Tibério; cita os governadores da Palestina, Pôncio Pilatos, Herodes, Filipe, Lisânias, e outras personagens como Anás e Caifás (Lucas 2,1;3,1s). Todos são muito bem conhecidos da História Universal.
      São Mateus e São Marcos falam dos partidos políticos dos fariseus, herodianos, saduceus (Mateus 22,23; Marcos 3,6).
      São João cita detalhes do Templo: a piscina de Betesda (João 5,2), o Lithóstrotos ou Gábala (João 19, 13) e muitas outras coisas reais. Nada foi inventado, tudo foi comprovado pela História.
      Além dos dados históricos sobre a vida real de Jesus Cristo, tudo o que Ele fez e deixou seria impossível se Ele não tivesse existido. Um mito não poderia chegar ao século XXI com mais de mil milhões de seguidores. Os apóstolos e os evangelistas narraram aquilo do qual foram testemunhas oculares; não podiam mentir, sob pena de serem desmascarados pelas adversários e perseguidores da época.
      Será que poderia um mito ter vencido o Império Romano? Será que um mito poderia sustentar os cristãos diante de 250 anos de martírios e perseguições? O escritor cristão Tertuliano (†220), de Cartago, escreveu que “o sangue dos mártires era semente de novos cristãos”. Será que um mito poderia provocar tantas conversões, mesmo com sérios riscos de morte e perseguições? No século III já havia cerca de 1500 sedes episcopais (bispos) no mundo afora. Será que um mito poderia gerar tudo isto? É claro que não. Será que um mito poderia sustentar uma Igreja, que começou com 12 homens simples e que já tem 2000 anos; que já teve 265 Papas, e que tem hoje mais de 4000 bispos e cerca de 410 mil sacerdotes em todo o mundo?

      Excluir
  23. Coloquem uma coisa nas suas mentes, Satanás nunca foi Lúcifer, essa lenda foi inventada por Agostinho no século IV para prejudicar o bispo Lúcifer da Sardenha que combatia os arianos hereges .
    E baseado na tradução da Vulgata , Isaías 14. Inventaram a lenda da rebelião de Lúcifer associacindo o nome do bispo a Satanás para prejudicar o bispo Lúcifer da Sardenha.

    ResponderExcluir
  24. Se for tirar os erros que bíblia tem , num sobra nem as capas !!!

    ResponderExcluir

Blogger Template by Clairvo